Posts com Tag ‘policia militar’


POBRE POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO, HUMILHADA PELO GOVERNO DA PREFEITA MARIA DE BRITO (PMDB)!
PLANO DE VIDEOMONITORAMENTO DA POLÍCIA MILITAR É RIDÍCULO, PERTO DAS MAIS DE 2.000 CÂMERAS DE VÍDEO DO GUARUJÁ, CONFORME PROGRAMA DE GOVERNO IMPRESSO HÁ MAIS DE DOIS ANOS PELA PREFEITA DE GUARUJÁ MARIA DE BRITO DO PMDB….
 
 
….PASSADOS DOIS ANOS, NINGUÉM CONSEGUIU RECUPERAR NENHUMA IMAGEM DE VÍDEO DA FUGA DOS ASSASSINOS DO EX-SECRETÁRIO DE GOVERNO RICARDO JOAQUIM (PPL) NO GUARUJÁ…
 
 
GOVERNO MARIA DE BRITO: “QUEM CONHECE NÃO CONFIA E NÃO ACREDITA!”
.

PM PODE SER EXONERADO APÓS APARECER EM FOTO COM MULHERES NUAS E SEMINUAS.
A CORREGEDORIA DA PM DE SÃO PAULO CONSEGUIU IDENTIFICAR A VIATURA, QUE ATENDE AS CIDADES DO LITORAL PAULISTA COMO GUARUJÁ, BERTIOGA E UBATUBA. 
.

Um Policial Militar (PM) de São Paulo pode ser exonerado do cargo, após aparecer em fotos que circulam pelas redes sociais, com um grupo de mulheres posando nuas e seminuas em cima de uma viatura da Polícia Militar Ambiental (PMA).

Pelas imagens a corregedoria da PM de São Paulo conseguiu identificar a viatura, que atende as cidades do litoral paulista como Guarujá, Bertioga e Ubatuba chegando até a divisa com o Paraná. No entanto, as identidades do policial e das jovens são desconhecidas.

Nas imagens que estão circulando pelas redes sociais é possível ver cinco garotas nuas, em uma pick-up da PM fazendo diversas poses, ao lado de um PM fardado. Segundo informações da PM, ainda não foi identificado o local onde as fotos foram tiradas e em nota afirmou a outros sites que irá apurar o fato com o máximo rigor, com o PM sendo identificado o mesmo passará por um processo administrativo.

.

Fonte: Diário da Manhã (DM Brasil)


COMANDANTE: “ACORDA A TROPA PÔÔÔ!!!
POLÍCIA MATA CINCO PESSOAS POR DIA NO BRASIL, NO GUARUJÁ A POLÍCIA MILITAR DORME!
 
 .
A poucos minutos, aproximadamente as 14h00, um motorista com seu caminhão veio trazer alguns móveis usados, acabou sofrendo uma tentativa de ASSALTO de dois malas, desarmados, montados em bicicletas fingindo estarem armados. 
 
Os malas, já vinham de uma tentativa de assalto à um advogado na mesma rua. Após o susto e a reação inesperada do motorista pra cima dos bandidos, o motorista caminhou cerca de 50 metros para avisar uma viatura que dá PLANTÃO diariamente nas portas da Associação Paulista dos Magistrados, na Avenida Áureo Guenagua com a José Amieiro. 
 
Pois é, os Policiais Militares nem se mexeram, ainda responderam “NÃO PODEMOS FAZER NADA, AFINAL O SENHOR NÃO FOI ROUBADO!”. Será que teria que haver um Latrocínio para os Policiais Militares se mexerem? Será que havia combustível na viatura ou os gloriosos Policiais Militares ainda não tinham almoçado? 
 
Adivinhem, ligamos no COPOM e como resposta: “SENHOR, NADA PODEMOS FAZER, PROCURE O BATALHÃO DA POLICIA MILITAR“. Coitados dos turistas que estão vindo para o feriado e verão, vai ser a farra da bandidagem!!!!!

GUARUJÁ, UMA CIDADE DE GANGSTERES!
VEÍCULOS FUZILADOS, ARRASTÕES NOS CALÇADÕES DA PRAIA, SUPERFATURAMENTOS EM COMPRAS PÚBLICAS, ESTUPROS, CORRUPÇÃO E A CRIMINALIDADE SOMENTE É REDUZIDA NO DESGOVERNO MARIA DE BRITO NAS PÁGINAS DOURADAS DO JORNAL A TRIBUNA.
 
 
Sr. Manoel bom dia, eu acompanho o blog de vocês e sinto uma tristeza enorme em ver o que o Guarujá virou.
 
No dia 12/10 vocês publicaram uma reportagem do G1 que aconteceu comigo em uma emboscada no túnel.
 
Ontem atiraram no meu carro. Ontem deram 6 tiros no carro do meu amigo:
 
Por sorte ( Deus ) saíram ilesos, e outra amiga postou que na Anchieta estavam fazendo arrastão, e os carros que tentaram sair do bloqueio, eles atiravam, disse que eram muitos e fortemente armados.
 
Até quando vamos ter que viver isso ? Somente os bandidos podem atirar ? 
 
Admiro seu trabalho.
 
Grata
 
indicescrimesatribuna

MÉDICA QUE AGREDIU PMS DIZ TER SIDO ATACADA EM VIATURA: “ME ASFIXIARAM”
ROBERTA ISEPON AFIRMA QUE POLICIAIS COLOCARAM UM PLÁSTICO EM SUA CABEÇA.APREENSÃO ACONTECEU APÓS CONFUSÃO EM UMA FESTA EM GUARUJÁ.
 
 

A médica suspeita de desacatar e agredir policiais militares em Guarujá, no litoral de São Paulo, afirma que foi atacada pelos PMs antes de chegar ao Distrito Policial. Roberta Bento da Silva Isepon afirma que os agentes teriam colocado um saco plástico em sua cabeça e tentado asfixiar a mesma durante dez minutos, após ela ter sido colocada dentro do carro da polícia. Policiais envolvidos na ação negam ter batido na médica.

O casal de médicos foi detido na madrugada desta segunda-feira (27) após terem agredido fisicamente um policial militar e terem xingado moradores de um condomínio em Guarujá. A confusão começou durante um churrasco promovido pelos suspeitos em uma área de convivência de um prédio, localizado no bairro Jardim Tejereba, na noite de domingo (26). Vizinhos e moradores do condomínio pediram silêncio a eles, já que todos estariam gritando e falando muito alto. Policiais Militares foram acionados e apreenderam ambos após terem sido agredidos.

Roberta se defende das suspeitas, afirmando que o som da festa estava baixo e que eles teriam atendido aos pedidos dos outros moradores do prédio. “O som estava baixinho, mas de repente tinha mais de 40 moradores no local. O policial chegou em menos de dois minutos e já veio agredindo a gente”, diz.

Ela diz que não agrediu os policiais, mas que teria apenas lutado para que eles retirassem as algemas colocadas nela. “Eu não batia, eu relutava porque não sou bandida, eu não fiz nada, só tentei tirar as algemas”.

De acordo com a médica, um pouco antes dela chegar ao DP junto com seu irmão, os policiais teriam parado o carro e agredido a suspeita. “Uns três metros antes de chegar no DP eles tiraram o meu irmão do carro, fecharam a porta do camburão e falaram ‘agora você vai apanhar e vai apanhar quieta’. Colocaram um saco plástico, me asfixiaram por mais de dez minutos e eu fui espancada”, conta.

Um dos policiais que atendeu a ocorrência afirma que a suspeita xingou toda a corporação. “A médica, muito agressiva verbalmente, começou a dizer palavras que nem dá para citar de tão horríveis que são. Relevamos essa parte porque queríamos resolver o problema do pessoal do condomínio, por haver crianças, idosos e o pessoal que ia trabalhar de manhã”, diz Rodrigo Guesse dos Santos.

O Policial Militar João Carvalho Batista, que algemou Roberta, conta que ela tentou agredi-lo no rosto antes de ser retirada do condomínio. “No momento em que foi dada a voz de prisão, a mesma veio com agressões físicas também e, no momento de tentar contê-la, a mesma desferiu arranhões no meu braço e tentou bater no meu rosto”, afirma.

O advogado responsável pela defesa da médica, Ricardo de Souza, afirma que pedirá para que seja apurado um possível crime de tortura. “Vamos procurar os órgãos internacionais de proteção e dignidade à pessoa humana, vamos procurar o Ministério Público, vamos pedir nesses órgãos para que seja apurada a brutalidade policial e apurar até mesmo um possível crime de tortura porque houve excessos de ambas as partes”, diz.

O Capitão da Polícia Militar, Marcos Rovina Capovilla, afirma que os policiais procederam da maneira correta e ressalta que os suspeitos haviam ingerido bebida alcoólica. “A Polícia Militar considera a ação dos policiais legítima dentro do ponto de vista legal e dentro dos parâmetros que ela coloca para atendimento desse tipo de ocorrência. Os policiais, ao chegarem na ocorrência, foram agredidos pelo casal que se encontrava embrigado. Foram agredidos primeiro verbalmente e depois fisicamente”, conclui.

Fonte: G1/Santos


VÍDEO MOSTRA MÉDICA AGREDINDO PM E BRIGA ENTRE MORADORES EM GUARUJÁ. 
CÂMERA DE SEGURANÇA FLAGROU BRIGA GENERALIZADA DURANTE CHURRASCO. CASAL DE MÉDICOS RESPONDERÁ POR VÁRIOS CRIMES, INCLUSIVE INJÚRIA RACIAL.
 
.

As câmeras de monitoramento de um prédio em Guarujá, gravaram o momento em que dois médicos agridem um policial militar e moradores do condomínio, que haviam reclamado do barulho durante uma churrascada na madrugada desta segunda-feira (27). O casal foi detido e liberado em seguida mas, segunda a polícia, responderá por pelo menos seis crimes, entre eles injúria racial.

Os vizinhos e moradores do edifício pediram para que os médicos respeitassem a lei do silêncio, já que estavam fazendo muito barulho durante a festa. A solicitação não foi acatada e os condôminos, então, chamaram a Polícia Militar. O casal, que já havia ingerido bebida alcoólica, xingou os moradores e agrediu um dos PMs que atenderam a ocorrência.

As câmeras de monitoramento do condomínio registraram toda a ação. Nas imagens, é possível ver a médica sendo levada para fora do prédio pela autoridade. Ela se joga no chão e o PM começa a conversar com um integrante da família, que se aproxima. Em seguida, o policial tenta dialogar com a mulher, mas ela pula no pescoço dele e começa a agredí-lo.

Outras pessoas começam a se aproximar do policial e da médica, tentando separá-los. Mas, em vez disso, acabam discutindo entre si e dando socos umas nas outras. Os moradores brigam e se agridem por vários minutos, inclusive as mulheres do prédio.

Além disso, testemunhas relatam que a médica xingou os funcionários do prédio. Ela teria ofendido uma moradora, a chamado de ‘preta’, os funcionários de favelados, pobres e dito que seriam mandados embora.

Depois disso, os policiais militares saíram com o casal de médicos do condomínio. A mulher aparece nas imagens sendo arrastada pela rua e o homem sendo contido e colocado dentro da viatura.

O casal foi levado para a Delegacia Sede de Guarujá. O delegado ouviu os dois médicos e os liberou ainda durante a manhã. De acordo com a Polícia Civil, eles responderão pelos crimes de injúria racial, resistência, desacato, lesão corporal, ameaça e perturbação do sossego.

Fonte: G1/Santos


MÉDICOS SÃO DETIDOS APÓS AGREDIREM PM E CHAMAREM VIZINHA DE “PRETA”. 
CASAL ESTAVA FAZENDO UM CHURRASCO E DESRESPEITANDO A LEI DO SILÊNCIO. MÉDICOS FORAM OUVIDOS E LIBERADOS, MAS RESPONDERÃO POR SEIS CRIMES.
 
 

Dois médicos foram detidos, na madrugada desta segunda-feira (27), após agredirem fisicamente um policial militar e xingarem moradores de um condomínio em Guarujá. Os médicos foram ouvidos e liberados, mas terão que responder, segundo a polícia, por seis crimes diferentes.

De acordo com testemunhas, o casal estava fazendo um churrasco com a família em uma área de convivência de um prédio, localizado no bairro Jardim Tejereba, na noite deste domingo (26). Vizinhos e moradores do condomínio pediram silêncio a eles, já que todos estariam gritando e falando muito alto. “Eles pediram para terminar com o churrasco e obedecer à ordem de silêncio. A médica não gostou da reclamação dos vizinhos. O pessoal foi falar com eles e os dois ficaram debochando”, conta um morador, que prefere não ser identificado.

O problema persistiu e os moradores resolveram chamar a Polícia Militar. “Eles estavam muito embriagados. Os médicos começaram a xingar e o policial deu a ordem de prisão por desacato. Um rapaz da família da médica agrediu um morador e a médica agrediu o policial quando ele deu a ordem de prisão”, diz o morador. O PM ficou com as marcas de arranhões espalhadas pelo corpo.

Além disso, testemunhas contam que a médica xingou os funcionários do prédio. Ela ofendeu uma moradora. Chamou ela de ‘preta’, os funcionários de favelados, pobres e disse que seriam mandados embora”, relata.

O casal foi levado para a Delegacia Sede de Guarujá. O delegado ouviu os dois médicos e eles foram liberados durante a manhã. De acordo com a Polícia Civil, eles responderão aos crimes de injúria racial, resistência, desacato, lesão corporal, ameaça e perturbação de sossego.

Fonte G1/Santos