editorialtribunaacesso
.
DUÍNO, NOSSO ETERNO SECRETÁRIO DE OBRAS TRAPALHÃO.
por Manoel Inconfidente Vergara
.
Algumas semanas atrás um amigo, me ligou rindo. Comentava comigo que o nosso vice-prefeito, ainda, porque vice-prefeito não pode ser demitido, estava descendo o cacete na Artesp, num dos programas chapa branca, das emissoras chapa branca em Guarujá, patrocinados provavelmente por alguma empresa “parça” ou pelo próprio Duíno.

O assunto era a alça de acesso da nova pista que provavelmente infernizará os moradores da região  da Conceiçãozinha. Comentava com meu amigo que tinha angu debaixo desse caroço. Sempre fui contrário ao modo que está obra está sendo gerida. Tenho conhecimento que a obra é com dinheiro da iniciativa privada, em área cedida pela iniciativa privada, mas a gestão, ahhh, a gestão é muito complicada, principalmente pelas velhas figurinhas carimbadas do Clube do Bolinha que estão gerindo o projeto. Bem, isso fica para os financiadores privados, espero que não apareça dinheiro público nesta obra, caso contrário, nosso Dr. Paulo “Tinhoso” Clemente, irá novamente fazer o Ministério Público e a Justiça trabalhar.

Mas voltando a alça de acesso, nosso vice-secretário-engenheiro das obras paradas, colocava a culpa na Artesp, por ter “inventado” aos 45 minutos do segundo tempo, uma pista de extensão, com finalidade de proporcionar segurança aos ciclistas e pedestres. Comentários, cacete na agência reguladora, pau no Dersa, mas a verdade sempre aparece, para a infelicidade da dupla.

Bem, não deu outra. O Secretário de Obras Duino Verri Fernandes foi pego em mais uma trapalhada e o jornalista e o programa ficaram de calças curtas, mas não se preocupem, ninguém anda assistindo, e a emissora pouco chega aos bairros de Guarujá. No editorial do Jornal A Tribuna, a Artesp acabou se manifestando e, o projeto apresentado no dia 07 de março, condicionava a construção da pista redutória de velocidade, mostrando que o ice-secretário das obras paradas, sabia da exigência da Agência Reguladora, no caso a Artesp .

Pois é, mais uma vez a casa caiu, vai cair muito, principalmente se os documentos, planilhas, contratos de obras e serviços da Prefeitura de Guarujá dos últimos anos, não queimarem em algum incêndio ao final desta gestão. São dezenas de irregularidades, incompetência, má gestão, malversação de dinheiro público e corrupção. Querem exemplos, vejam:

– Píer do Perequê: Obras inacabadas e na justiça.

– Escolas da Construtora Matisse: Obras inacabadas e na justiça.

– Teatro Municipal: Obras inacabadas

– Estádio Municipal: Obras inacabadas

– Túnel da Vila Zilda: Obras inacabadas, Vazando, sem a moderna iluminação prometida.

– Av. Oswaldo Cruz: Obras inacabadas, estreitamento da via pública.

– Av. Thiago Ferreira: Onde estão as obras da placa?

– Ciclovia Av. Adhemar de Barros: Estreitamento da via pública e enchentes constantes.

– Ciclovia da Av. Santos Dumont: Intransitável

– Antiga Delegacia da Mulher: Demolida e obras prometidas não começaram.

– Centro de Convenções: Nem saiu do papel.

Bem, não vou me alongar muito por aqui, mas declarar a imprensa que foi, é, o maior realizador de obras da Baixada Santista, está muito longe disso Duino. Vou utilizar uma frase dos americanos, relativa a questão de confiança nos políticos, convertida para a realidade do Guarujá: – Você compraria um imóvel construído pelo Engº Duíno Verri Fernandes?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s