Posts com Tag ‘hospital santo amaro’


MAIS UMA CRIANÇA EM GUARUJÁ SERÁ VÍTIMA DO DESCASO, INCOMPETÊNCIA E INDIFERENÇA DA PREFEITURA DE GUARUJÁ E DO HOSPITAL SANTO AMARO?
CRIANÇA DE DOIS ANOS AGUARDA EXAMES MÉDICOS QUE O HSA DECLARA QUE NÃO PODE REALIZAR PELO SISTEMA SUS. PREFEITURA INERTE DEVE ESTAR AGUARDANDO A CRIANÇA ENTRAR EM ÓBITO E PAIS PRESTAM QUEIXA E FAZEM DENUNCIAS SOBRE CONDIÇÕES DE ATENDIMENTO NA SAÚDE PÚBLICA EM GUARUJÁ!
 
 
GOVERNO MARIA DE BRITO: “QUEM CONHECE, NÃO CONFIA!”
.

MÉDICOS DO HOSPITAL SANTO AMARO SÃO VÍTIMAS DE ASSÉDIO, DIZ SINDICATO 
SEGUNDO O ÓRGÃO DE CLASSE, ESTRATÉGIA DA MANTENEDORA É DESMANTELAR EQUIPES.
 
.

Cerca de 100 médicos que formam o corpo clínico do Hospital Santo Amaro (HSA), em Guarujá, vêm sofrendo interferência e assédio profissional, que podem comprometer a atividade profissional. A informação, em tom de denúncia, é do presidente do Sindicato dos Médicos (Sindimed), Álvaro Norberto Valentim da Silva. Ele garante que, desde o ano passado, vem cobrando providências da direção da unidade hospitalar.

Segundo ofício encaminhado ao diretor presidente do HSA, Urbano Bahamonde Manso, em julho último, de modo deliberado e intencional, a Sociedade Santamarense de Beneficência do Guarujá (entidade mantenedora do hospital) tem como estratégia o desmantelamento das equipes de médicos, especialmente as organizadas em serviços.

Ele explica que isso vem ocorrendo na forma de falta de atualização e atrasos de pagamentos dos profissionais, impondo-lhes dificuldades financeiras para que, com a fragilização econômica, sejam obrigados a aderirem a uma empresa terceirizada, responsável por intermediar os serviços.

“A empresa intermediadora tem contratado profissionais que têm empresa com equipes constituídas para fugir do vínculo e dos encargos trabalhistas. Isso causa prejuízo aos médicos e à população, pois equipes inteiras podem ser desmanteladas da noite para o dia, atrapalhando procedimentos e tratamentos”, afirma Álvaro Valentim.

O sindicalista acredita que a intermediação nada mais é do que a precarização da atividade médica, causando até a quarteirização — empresas contratando outras para serviços que não fazem. “Em contrapartida, não se vê melhoria alguma no atendimento do HSA, nem no clínico, nem com relação a sua estrutura física. Não se vê qualquer mudança no padrão de atendimento”, revela.

Álvaro Valentim também acredita que o sistema atrapalha na administração do HSA, pois “não existe hierarquia. O médico se reporta à empresa e não ao colega responsável pelo setor. Isso acarreta menos cobrança e desleixo, além de conflitos de procedimentos e de materiais”, explica o médico, alertando que irá recorrer ao Ministério Público (MP), pois a entidade não responde aos seus ofícios.

Bahamonde aconselha procurar outro hospital

Ao saber das declarações, Urbano Bahamonde Manso repudiou as afirmações do presidente do Sindicato dos Médicos. Ele garante que nunca adotou qualquer medida que redundasse em interferência ou assédio profissional e revela que as divergências são normais quando o assunto é dinheiro. “O HSA não abre mão de proteger seus interesses e continuará invadindo a zona de conforto daqueles que, durante anos, não dividiram com o hospital o lucro obtido na atividade”, revela em nota.

Bahamonde alerta que os médicos do HSA sabem que trabalham num hospital filantrópico, que recebe parcas verbas públicas para atender a população. “Essas verbas nem sempre chegam nos prazos estipulados, o que causa transtorno não só aos médicos mas a todos os trabalhadores. Aqueles que não entendem ou não querem entender deveriam procurar saber mais sobre nossas difíceis relações institucionais ou procurar outro hospital para trabalhar”.

Fonte: Carlos Ratton – Diário do Litoral


“É NOVAS!” HOSPITAL SANTO AMARO NÃO TEM DINHEIRO PARA PAGAR O 13º SALÁRIO!
COMO SEMPRE, HOSPITAL ACUSA PREFEITURA DE GUARUJÁ DE NÃO REPASSAR OS RECURSOS E A PREFEITURA COMO SEMPRE, ALEGA QUE ESTÁ EM DIA. QUEM NÃO ESTÁ FALANDO A VERDADE À IMPRENSA PREFEITA MARIA DE BRITO (PMDB)?
 
 
GOVERNO MARIA DE BRITO: “QUEM CONHECE, NÃO CONFIA!”
.

ESTAGIARIAS DO HOSPITAL SANTO AMARO PROTESTAM POR SEREM IMPEDIDAS DE ENTRAR NO HOSPITAL COM SEUS PERTENCES PESSOAIS.
POR QUE UM SIMPLES ESTABELECIMENTO COMERCIAL É OBRIGADO POR LEI DE MANTER UM LOCAL PARA TROCA DE ROUPAS E GUARDA DE BENS E UM HOSPITAL IMPEDE SUAS ESTAGIARIAS DE ENTRAREM COM SEUS PERTENCES. MAIS UM ATO DITATORIAL NUM HOSPITAL QUE NÃO PREZA PELA SUA TRANSPARÊNCIA, MESMO RECEBENDO POLPUDAS VERBAS PÚBLICAS.
 

GREVE PODE PARALISAR OS HOSPITAIS DA BAIXADA SANTISTA 
TRABALHADORES DA SANTA CASA DE SANTOS, SÃO JOSÉ, EM SÃO VICENTE, SANTO AMARO EM GUARUJÁ, AMEAÇAM PARALISAR ATIVIDADES POR MELHORES SALÁRIOS.
 
hospitalsantoamaro
 .

A Santa Casa de Santos, maior hospital da região e um dos maiores do País, mais o Hospital São José de São Vicente e Santo Amaro, no Guarujá, podem ser paralisados por uma greve de seus funcionários, que estão em campanha salarial por melhores salários e condições de trabalho. Os trabalhadores terão assembleia na próxima terça-feira para deliberar sobre a paralisação.

A informação é do sindicalista Paulo Pimentel, PP, presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Santos e Região (Sintrasaúde).

O líder sindical diz que o Sindicato dos Hospitais Filantrópicos (Sindhosfil), que representa esses hospitais, sequer analisou as propostas dos trabalhadores, cuja data-base é 1º de outubro. “A entidade patronal nos enviou uma contraproposta, que no mínimo, é vergonhosa, isto para não dizer ridícula e imoral, o que sinaliza que sequer teve o trabalho de olhar as principais reivindicações dos trabalhadores”, diz Pimentel.

O sindicalista enfatiza que todo ano é a mesma coisa. As negociações emperram quando chega a data-base. “A alegação é a mesma: não há dinheiro, o SUS paga pouco pelo atendimento e sempre atrasa os pagamentos e os planos saúde não dão o retorno necessário para suporte de todas as despesas. Eles querem jogar a culpa por más administrações nas costas dos funcionários”.

O presidente do Sintrasaúde cita o exemplo da Santa Casa de Santos, maior hospital da região e um dos maiores do País, com 3.700 funcionários, que se comprometeu em implantar o Plano de Cargos e Salários,(PCS) mas até agora não cumpriu.

“Durante anos tentamos implantar o PCS, mas sempre esbarramos em promessas que não são cumpridas. Agora vem o sindicato patronal oferecer apenas a reposição da inflação. Estamos mobilizando a categoria para, se for preciso, aderir à uma paralisação, isto para demonstrar que estamos unidos e temos dignidade”.

Reivindicações

As principais reivindicações dos empregados são: reajuste de 10%, R$ 172,00 a título de Cesta Básica e Adicional Noturno de 60%. O Sindhosfil contrapropôs reajuste de 6,59% para os salários e Cesta Básica.

A diretoria do Sintrasaúde diz que o reajuste pretendido anteriormente era de 12%. “Abaixamos para 10% a fim de facilitar as negociações. Se não houver contraproposta que atenda a dignidade dos funcionários até o dia da assembleia, vamos paralisar as atividades, pois os trabalhadores saberão dar uma resposta à altura ao sindicato patronal”, conclui Pimentel.

A assembleia ocorre na terça-feira, dia 28, às 19h30, no Sintrasaúde, à Avenida Ana Costa, 70, em Santos.

Fonte: Jornal Diário do Litoral


DR. URBANO BAHAMONDE, EXPLICA AI!
GUARUJÁ, ONDE O PÚBLICO SE MISTURA AO PRIVADO, UMA RÁPIDA VISITA À UPA SÃO JOÃO, MOSTRA O DESCASO COM OS DOCUMENTOS E CENAS INEXPLICÁVEIS COMO O PATRIMÔNIO DO HOSPITAL SANTO AMARO SENDO UTILIZADO NUM PRÓPRIO MUNICIPAL.
 
 
O DESCASO E A DESORGANIZAÇÃO É DESOLADORA, PRINCIPALMENTE COM OS DOCUMENTOS COMO PRONTUÁRIOS.
 
 
COMO DIRIA DON DOMÊNICO: GOVERNO DI MARIA BRITO: “CHI LO SA, NON MI FIDO!”
.

JOVEM É ESPANCADA POR ASSALTANTE E PEDE AJUDA PARA FAZER CIRURGIA EM SÃO PULO.
VÍTIMA AFIRMA TER FORTES DORES E QUE PRECISA TOMAR ANALGÉSICOS DIARIAMENTE. HOSPITAL DE GUARUJÁ DIZ QUE JOVEM ESTÁ NA FILA PARA REALIZAR A CIRURGIA.
 
 

Uma jovem que foi agredida por um homem após ser assaltada em Santos, no litoral de São Paulo, pede ajuda para realizar uma cirurgia. De acordo com ela, o golpe desferido pelo suspeito lhe causou um traumatismo craniano e o Pronto Socorro do Macuco, onde ela foi atendida, a liberou após prestar os primeiros socorros. A jovem afirma que a cirurgia que ela necessita está demorando muito, que tem fortes dores e precisa tomar analgésicos diários. O Hospital Santo Amaro, de Guarujá, esclarece que a paciente está na fila de espera do SUS e que a demora se deve ao fato de haver outras 32 pessoas na sua frente.

O tema desta reportagem foi sugerido por um leitor pela ferramenta de jornalismo colaborativo VC no G1. Você também pode participar enviando sua colaboração. Saiba como.

A balconista de 19 anos, que prefere não se identificar, diz que foi atacada por um homem na noite do dia 9 de setembro. O suspeito deu um soco no rosto dela, que imediatamente desmaiou. Suas roupas ficaram cobertas de sangue. “Eu não lembro direito dos acontecimentos, por conta da pancada na cabeça, mas acordei em um pronto socorro de Santos, que me atendeu muito bem. O médico fez um curativo e me deu alguns remédios, antes de me orientar a procurar uma unidade de saúde próxima da minha casa, em Guarujá, para fazer uma cirurgia na face”, afirma.

De acordo com ela, o nariz permanece quebrado e ela enfrenta dificuldades para respirar. O encaminhamento para realizar o processo cirúrgico teria sido autorizado no dia 17 de setembro, porém, a jovem diz que o médico que a atendeu explicou que não poderia realizar a operação antes de 2015. “Fomos na Ouvidoria do Hospital Santo Amaro, que depois mandou a gente para a Ouvidoria da Saúde, onde pegamos uma cópia do encaminhamento, do pedido para o Santo Amaro, que está autorizado. No entanto, me disseram no hospital que só poderei entrar na lista de cirurgias no ano que vem”, lamenta.

O G1 entrou em contato com o setor de comunicação do Hospital Santo Amaro (HSA), que informou, por meio de nota, que a paciente está na fila do Sistema Único de Saúde (SUS), onde aguarda para fazer uma cirurgia estética no nariz. A administração informa ainda que a documentação é enviada pelo SUS somente após o agendamento. Por essa razão, o HSA não possui registro de consulta, ficha ou prontuário da mesma. O procedimento cirúrgico recomendado é estético, para uma correção de nariz, gerada por um acidente. Não há relação com a fratura sofrida, que já está consolidada.

Ainda segundo a nota, a fila e o prazo de espera devem-se ao acúmulo e ao ritmo do próprio SUS. No momento, estão sendo realizados procedimentos idênticos ao da paciente que foram agendados em abril deste ano. Na frente da jovem, há 32 pessoas aguardando o agendamento da cirurgia.

Fonte: G1 Santos