Posts com Tag ‘vicente de carvalho’


FALTA ÉTICA NA ADMINISTRAÇÃO MARIA DE BRITO
PREFEITURA INAUGURA FARMÁCIA POPULAR EM VICENTE DE CARVALHO…
SECRETÁRIO “BABOSA ENSABOADO” DECLARA NA TV GUARUJÁ QUE ERA PROMESSA DE CAMPANHA DA PREFEITA ANTONIETA, MAS…..

A VERDADE ESTÁ AQUI….
VEJAM AS SOLICITAÇÕES (INDICAÇÕES) DO VEREADOR Dr. VALTER SUMAN

…SERÁ QUE CONVIDARAM O VEREADOR PARA VER UM SONHO REALIZADO?

…ACREDITAMOS QUE NÃO, NÃO É MESMO SECRETÁRIO MARCO ANTONIO “BABOSA ENSABOADO”, QUE PERDEU UMA GRANDE CHANCE DE FICAR CALADO NA TV.

SECRETÁRIO VAMOS CONFERIR AS 1.500 PESSOAS POR DIA QUE DEVERÃO SER ATENDIDAS CONFORME ESCRITO NO DIÁRIO OFICIAL DO MUNICÍPIO…

TAMBÉM VAMOS CONFERIR SE OS 918.000 COMPRIMIDOS DE CAPTOPRIL, MAIS OS 83.000 FRASCOS DE DIPIRONA MENSAIS, ESTOCADOS NO FANTÁSTICO ESPAÇO DE 50 m2 DA NOVA FARMÁCIA POPULAR OU SERÁ À FARSA POPULAR?


SHOW INESQUECÍVEL!!!
SÉRGIO REIS FAZ SHOW NO ITAPEMA E PREFEITA DA INCOMPETÊNCIA É VAIADA. APESAR DA INTERVENÇÃO DO CANTOR AS VAIAS SÃO OUVIDAS ATÉ NA ÁFRICA!!

PREFEITA SE RECOLHE AOS BASTIDORES E A SEGURANÇA DA PREFEITA DEU UM SHOW DE VALE TUDO EM FORNECEDOR INDIGNADO DA PREFEITURA!!!!

…aguardem os próximos capítulos



VEJAM ONDE OS “CÚRINTIANOS”, SANTISTAS, SÃO PAULINOS E O NELSON FERNANDES (PORTUGUESA), VÃO NO DOMINGO AZUCRINAR OS PALMEIRENSES!!!


CÚRINTIANO, LEMBREM-SE:
PAGUEM COM O CARTÃO VISA DO CÚRINTIANS,
AFINAL O CORINTHIANS NÃO VENCE NUNCA!!!

É PROIBIDO MORRER EM GUARUJÁ!!!
COVEIROS DE GUARUJÁ NÃO RECEBEM SEUS SALÁRIOS, ENTRAM EM GREVE, E A REDE VTV FAZ REPORTAGEM CÔMICA E TRÁGICA EM CEMITÉRIO…


NUNCA NA HISTÓRIA DE GUARUJÁ SE VIU TANTA INCOMPETÊNCIA NÃO É PREFEITA ANTONIETA?
.

Camelôs tomam conta da Avenida Thiago Ferreira
A Tribuna Digital
Tadeu Ferreira Jr.

Para organizar o comércio informal que tomava conta da Avenida Thiago Ferreira, principal corredor comercial de Guarujá e um dos mais populares da Baixada Santista, a Prefeitura criou 124 boxes em dois camelódromos no Distrito de Vicente de Carvalho em 2003.

Passados sete anos, por falta de um controle rígido por parte da Administração, a Thiago Ferreira abriga, além destes pequenos espaços, barracas e mais barracas que tomam conta das calçadas, ofertando uma gama de produtos que parece interminável: de bananas e CDs piratas a perfumes e relógios sem qualquer garantia de procedência.

Sem cerimônia, algumas barracas desafiam o pedestre a trafegar pela rua. Uma delas espalhou mais de 20 cadeiras para servir lanches aos clientes. A situação, além de significar um estorvo no aspecto estético, está tirando o sono de comerciantes formais que, apesar de pagarem altos impostos, são submetidos à concorrência desleal com os camelôs, principalmente os que vendem os chamados produtos piratas.

Cansado de ver a proliferação das barracas pela Avenida Thiago Ferreira e a inanição do Poder Público mesmo após inúmeras reclamações feitas ao longo dos anos, o comerciante Antônio Nogueira Bernardo, um dos mais antigos do Distrito – estabelecido com sua relojoaria há 35 anos –, chegou a fazer um levantamento informal no ano passado e identificou 68 camelôs. “Hoje, deve haver uns 150, pelo menos”, calculou.

Um dos motivos, segundo ele, é a migração ilegal de ambulantes. Aproveitando-se da falta de fiscalização, parte deles, apesar de ter licença para atuar em outros bairros, se concentra na Avenida Thiago Ferreira. “Já vi vendedores de batata frita e churros com licença para a Enseada; de acarajé vindo do Perequê; de côco com permissão das Astúrias, e por aí vai”, destacou.

Terceiros

A Tribuna abordou alguns ambulantes da Thiago Ferreira para saber a origem de suas licenças e encontrou uma situação no mínimo curiosa: a grande maioria não quis falar, alegando que não são os donos das barracas e carrinhos, mas apenas “funcionários” – demonstrando que o critério no tocante ao aspecto social, que deveria pautar a distribuição de licenças, talvez necessite ser revisto.

A situação está trazendo prejuízos diretos à Câmara dos Dirigentes Lojistas de Guarujá (CDL), com sede em Vicente de Carvalho. De acordo com o presidente Hassen Ahmad Hammoud, a entidade está sofrendo constantes pedidos de desfiliação de comerciantes. “O Boticário tem um ambulante vendendo perfumes em sua porta e uma padaria passou a concorrer com uma barraca de lanches. Isso é justo?”.

Conforme Hammoud, os lojistas entendem que a CDL não está cumprindo com o papel de entidade representativa. Ele negou, justificando que chegou a pedir ação à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico no início do ano passado. “Pedi uma atitude porque sabia que sobraria para a CDL”, observou.

O pedido, segundo ele, não surtiu efeito. “A cada metro tem um ambulante. Não é possível a Thiago Ferreira desse jeito. Deficiente ou cliente com sacolas não conseguem transitar. Tem calçada com mais de dez botijões de gás, qualquer hora pode ocorrer uma desgraça e não há fiscalização”, concluiu.

Saída

Embora tenha estabelecimento formal e pague impostos por isso, Antônio Nogueira Bernardo decidiu ser radical na concorrência com os ambulantes. Passou a vender relógios iguais aos dos camelôs por R$ 60,00, R$ 10,00 mais baratos e com garantia de três meses. “Guarujá é uma terra sem leis. Se fizerem mais dois camelódromos, vai continuar do mesmo jeito”, desabafou.

Prefeitura

Em nota, a assessoria de imprensa da Prefeitura de Guarujá informou que está desenvolvendo um trabalho de ordenamento e reestruturação da Avenida Thiago Ferreira. Segundo a Prefeitura, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico está elaborando projeto para ação multidisciplinar com a finalidade de conter possíveis abusos praticados por ambulantes ou comerciantes estabelecidos.

Para isso, garante que a fiscalização atua intensivamente, orientando e autuando quando necessário. Atualmente, 1.245 ambulantes estão cadastrados no Município, mais 151 expositores nas feiras de artesanato de Pitangueiras (83) e Astúrias (68). A Administração Municipal não soube informar a quantidade de licenças expedidas por bairro.


ASSISTA AQUI COMO ERA A MATERNIDADE, EQUIPAMENTOS, INSTALAÇÕES QUE A PREFEITA DA INCOMPETÊNCIA FECHOU HÁ 365 DIAS!!!

INSATISFEITA, ELA EXPULSOU A CAAT E COM FALSAS DENUNCIAS EXPLICOU O INEXPLICÁVEL

SEM SORO!!!
VEJA A VERDADEIRA SITUAÇÃO DO ATENDIMENTO MÉDICO NOS POSTOS DE SAÚDE EM GUARUJÁ, EM PLENA PANDEMIA DE DENGUE NA CIDADE.

PARABÉNS À PREFEITA MARIA ANTONIETA DE BRITO…
A ÚNICA POLÍTICA QUE MATA SEUS ELEITORES!!!




MESTRE CAPODICASA
A LUTA CONTRA A FORÇA DA CENSURA ECONÔMICA

CAMPANHA FICA MENINO!!!!!
Domingão, nada como uma rastreada no Orkut para medir a popularidade da Prefeita Antonieta, afinal nossa Alcaide também tem um “mantro hindú”, e como um bom mantro vive cantarolando “O Povo está Comigo”. Bem no cyberespaço da internet não é o que estamos vendo, principalmente no Orkut.

Na comunidade mais política do Guarujá no Orkut (Guarujá em Debates), o unico desabono à boa comunidade é sua moderadora Ditadora que dificulta muito ser adicionado por lá, encontramos um membro conclamando à adesão da nova campanha FICA MENINO!!!!

Conforme informações descritas o apresentador Augusto Capodicasa após a tentativa do Lado Negro da Força, seria o PPL-MR8 do Guarujá??? – demiti-lo do Programa Ação e Reação, agora tem uma pesada investida contra o fantástico Programa do Augusto na TV Itapema, bem como seus patrocinadores do Guarujá.

Normalmente assistimos pela Internet, recomendo à todos os leitores de não deixar de assistir alguns programas, inclusive disponiveis no website do Augusto Capodicasa (www.capodicasa.com.br), quem reside no Guarujá não pode de forma nenhuma deixar de assistir e seus convidados, um programa polêmico que lembra muito nosso falecido apresentador Flavio Cavalcanti.

Já comentamos anteriormente a competência da equipe da nossa Prefeita Maria Antonieta de Brito (PPL-MR8), para prejudicar os veiculos de comunicação, infelizmente a Censura Econômica deve ser comparada à Força Negra da Democracia.

No dia 13 de dezembro de 2008, fez quarenta anos que o Ato Institucional nº 5 jogou uma pá de cal sobre a liberdade de expressão e demais direitos civis no Brasil. Um exemplo deste aprofundamento e de como ele incidia sobre os jornalistas pode ser visto no telegrama recebido em 15 de setembro de 1972 pelo diretor da surcusal de Brasília do jornal O Estado de S.Paulo que dizia:

“De ordem do senhor ministro da Justiça fica expressamente proibida a publicação de: notícias, comentários, entrevistas ou critérios de qualquer natureza,abertura política ou democratização ou assuntos correlatos, anistia a cassados ou revisão parcial de seus processos, críticas ou comentários ou editoriais desfavoráveis sobre a situação econômico-financeira, ou problema sucessório e suas implicações. As ordens acima transmitidas atingem quaisquer pessoas, inclusive as que já foram ministros de Estado ou ocuparam altas posições ou funções em quaisquer atividades públicas. Fica igualmente proibida pelo senhor ministro da Justiça a entrevista de Roberto Campos.”

Ou seja, a liberdade de expressão havia sido jogada no lixo e com ela o papel da imprensa de buscar a verdade e repassá-la ao cidadão. Não custa nada repetir os célebres versos do pastor luterano Martin Niemöller, preso numa campo de concentração nazista, quando percebeu a indolência, insensibilidade e cumplicidade dos compatriotas ante a escalada de violência hitlerista:

“Quando os nazistas levaram os comunistas, calei-me – não era comunista.
Quando encarceraram social-democratas, calei-me – não era social-democrata.
Quando levaram os sindicalistas, calei-me – não era sindicalista.
Quando levaram os judeus, também calei-me – não era judeu.
Quando vieram atrás de mim, já não havia ninguém para protestar.”
Hoje, em especial no interior do país, longe dos “jornalões” e das cabeças de rede, existe uma censura econômica, por meio da qual os donos do poder definem o rumo das pautas de acordo com seus interesses. A fórmula é simples: divulga-se o que é do agrado dos poderosos e omite-se o que vai contra seus interesses. Em contrapartida, jornais, rádios e emissoras de TV locais passam a integrar o trem da alegria dos repasses de verbas publicitárias públicas (sem licitação, diga-se de passagem) e privadas (provenientes de empresas ligadas ao poder).

A censura econômica leva ao fortalecimento de uma prática sutil que sempre existiu e continua comandando o fazer jornalístico: trata-se da censura exercida pelo patrão sobre o profissional em seu próprio ambiente de trabalho. Esta censura, representada muitas vezes por um direcionamento editorial, tem colaborado mais para o apodrecimento do jornalismo e de sua credibilidade do que qualquer outro tipo de manipulação externa.

“Hoje compreendo que a imprensa é uma empresa de cunho privado que vende um serviço de utilidade pública. Mas, como destacou Cláudio Abramo, o jornal tem um dono e nele só sai o que o patrão quer. Tendo isso em mente, passa-se a ler de forma mais realista o que está impresso. Sabendo sempre que, no dia seguinte, o papel do jornal vai embrulhar peixe nas feiras. Mas o que nele está impresso pode ter mudado vidas de modo radical. Algo é fundamental não se perder: quem o compra, deposita neste ato um pacto de confiabilidade no que está escrito. Quebrar esse acordo gera uma ambigüidade na apreensão do real que permite um sem-número de considerações. Assim, muitos pagaram pelo papel-jornal para saberem o que se passava nos seus mundos. Outros sofreram com o que estava impresso nessas páginas.”

A extrema competência da equipe de Governo da Prefeita Maria Antonieta de Brito, reacende a famosa luta do “Bem contro o Mal”, e apesar de alguns políticos esquecerem, o mandado não é eterno, ele dura apenas 4 anos e como dizem na Republica Federativa de Vicente de Carvalho “quem coloca, também tira”, lembrem-se disso Pequenos Ditadores.


“O HOMEM PÚBLICO”

MÁRIO DAIGE
Vereador do Guarujá


“A JUSTA HOMENAGEM”

“O DESCASO E O  DESRESPEITO”

AV. MARIO DAIGE – JD. BOA ESPERANÇA, FRONTAL A GARAGEM MUNICIPAL
DA PREFEITURA MUNICIPAL DO GUARUJÁ.

P A T R O C Í N I O:
ADMINISTRAÇÃO MARIA ANTONIETA DE BRITO (PPL-MR8)

“A diferença entre uma mulher na TPM e um seqüestrador, é que com o seqüestrador ainda existe uma possibilidade de negociação”.


Na última segunda-feira no período da manhã, a Alcaide Maria Antonieta de Brito (ex-PT), ao receber alguns dirigentes do Câmara de Dirigentes de Lojistas de Vicente de Carvalho, a Prefeita perdeu a compostura, ou como dizem as “bibas”, ela desceu do salto…..

Irritada começou a esbravejar, bater boca e expulsou do Gabinete um dos Diretores do CDL Artur Ubiratan, que coincidentemente é proprietário do Jornal O Itapema, aquele mesmo, aquele que a Prefeita mandou invadir indevidamente a grafica, voces não lembram, então nós vamos recordar:

Antonieta é processada por calúnia e injúria

03-Out-2008


A candidata Maria Antonieta de Brito (PMDB), é alvo de queixa-crime apresentada ao juízo de Guarujá pelos proprietários da gráfica C.F.Vicente & Cia Ltda, por prática do delito de calúnia, com base no artigo 138 do Código Penal, em função de denúncia infundada que apresentou ao juiz da 310ª Zona Eleitoral de Vicente de Carvalho/Guarujá, acusando-os de manter no estabelecimento “milhares de panfletos injuriosos”.

De acordo com a representação de Antonieta, que teria induzido a expedição de mandado de busca e apreensão, os tais folhetos seriam produzidos na gráfica, instalada regularmente em Vicente de Carvalho, mas apresentada como clandestina, inclusive em noticiário do jornal Diário do Litoral.


Os trabalhos de busca e apreensão, conduzidos pelo oficial de Justiça e acompanhados por aparato policial e pela imprensa regional – acionada pela assessoria da candidata – demonstraram que a representação não tinha nenhum fundamento.


De acordo com os advogados de Artur Ubiratan, sócio da gráfica, além de caluniar a empresa, nos termos injuriosos utilizados na representação ao juiz eleitoral, a candidata “extrapolou os limites da educação, bom senso, elegância e principalmente o respeito ao direito alheio.

Estamos fazendo uma pesquisa, seria a TPM, ou a influência do Super-Secretário que grita, bate e arrebenta…….Tudo bem, nos temos conhecimento que a Portaria 843/2009 nasceu órfã, sem pai e mãe,infelizmente ela só tem “madrasta”, afinal a chefe tem que prestigiar seus funcionários, principalmente aqueles que acabam como diremos…..ahhhh, fazendo merda……Não é mesmo Matemático, assuma que o filho é seu!!!!! Pelo menos tem o seu DNA…..


Agora expulsar um Dirigente do CDL, empresário local, cidadão emérito, contribuinte, eleitor, que praticamente dispôs seu tempo para a melhoria dos problemas do subdistrito, sim amigos, Vicente de Carvalho não é um potentado, muita gente não sabe que o Porto é Federalizado, e que o IPTU milionário do Guarujá mantém as Politicas Públicas do subdistrito, pelo menos na taxa de lixo, aliás, gostaria de saber qual bairro de Vicente de Carvalho o municipe paga R$ 375,00 de Taxa de Lixo.


É meu amigo, a ovelhinha está virando uma loba, e quem viver verá, ainda temos pelo menos 1.380 dias da Ditadura do Morrinhos, que hoje poderia ser chamada de Ditadura das Pitangueiras, mas tudo bem, continua a minha campanha “TRE quero de volta meu voto. Fundação Procon sofremos estelionato eleitoral”.


Artur, na próxima recomendamos você tomar uma Vacina Anti-Rábica e depois dessa, já ganhou a Camisa do Bloco Pé na Bunda 2010, não se entristeça, já temos o Sidnei Aranha, Romazzini, Dona Regina, Pastor Francisco José da Silva, o PMDB enfim a população!!!!!

Perguntas de Crianças difíceis de responder!!!!!

Estávamos todos almoçando, horário pré-escolar, as crianças à mesa e começamos a assistir a TV Tribuna que nesta semana vem dedicando-se a mostrar todo o caos no Guarujá. O assunto de hoje era a interrupção das obras do Rio Acaraú, continuação de uma matéria sobre a também interrupção das obras da Avenida Acre.

O repórter informava a nota da Asessoria de Imprensa sobre a paralisação das obras e seus motivos. Meu filho de 12 anos perguntou:


Papai, essa obra não é aquele canal perto do Cemitério em Vicente de Carvalho??

É filho, respondo.

Não entendo, se eles começaram a obra, por que não acabam??

Ahhh filho, porque o Governo tem que mandar o dinheiro.

Papai, mas porque não mandam o dinheiro??

Bem filho é porque a Prefeitura está devendo para o Governo.

Mas pai, eles devem para esse tal de DADE, papai quem é o DADE?

Não filho eles devem para o Pasep e ao INSS. O DADE é Departamento de Apoio ao Desenvolvimento das Estâncias, um Órgão do Estado de São Paulo ligado à Secretária Estadual de Turismo.

Ahhhh, e o que eles fazem, eles emprestam dinheiro??

Não Filho eles ajudam a fazer projetos para deixas as cidades mais bonitas e o Governo do Estado envia o dinheiro para as cidades turísticas realizarem as obras.

Agora eu entendi, e essas divídas da Prefeitura papai, essas que não deixam vir o dinheiro, o que é o PASEP e o INSS??

É simples filhão, o PASEP é uma contribuição social, que os Órgãos Públicos  tem que depositar para quando o trabalhador fica desempregado ele recebe um seguro-desemprego, assim ele tem uma reservinha para sobreviver.

E o INSS – Instituto Nacional de Seguridade Social é também uma contribuição para pagar a aposentadoria do papai quando ele ficar velhinho e para manter os hospitais funcionando, todas essas contribuições vão para o Lula, lá em Brasília no Governo Federal.

Ihhhhh, agora eu não entendi mais nada pai. Se o dinheiro das obras vem do Governo Estadual do tal de DADE, acho que é do Serra não é pai, e a Prefeitura deve para o Lula, por que o dinheiro não vem para acabar a obra papai??

Filho quer saber a verdade, ninguém sabe filho, realmente ninguém sabe!!!!!!!!!!!!



Governador José Serra abandonou o Guarujá!!!!

Durante a visita do ex-Governador Geraldo Alckmin (Picolé de Chuchu) com o Deputado Paulo Barbosa, a TV Tribuna cumpria seu papel de emissora filiada a Rede Globo de Televisão, bairrista e tendencialista, mostrava o abandono do Complexo Hospitalar de Vicente de Carvalho.
Poderia iniciar esta crônica dando porradas no Secretário de Saúde – Dom Vilhanueva, mas seria chover no molhado, já que após as declarações do Presidente da Oscip CAAT Olavo Tarricone Filho, que o Dr. Celebridade, veja nossa crônica Dr. Dom Vilhanueva…, é Diretor Clinico da Maternidade Ana Parteira e NUNCA, havia comparecido na Maternidade, somente no dia do fechamento, o Conselho Regional de Medicina (CRM) que tome as providências, aliás pelo que estamos vendo em todo país, pessoas morrendo em Cirurgias de Estética, já sabemos que não irá acontecer nada.
Vamos poupar o Dr. Celebridade, o Super Secretário e o nosso Matemático, que compõe o Triunvirato ou os Três Reis Magos, aliás, depois de estudar o Currículo dos nossos Magos, descobri que realmente o Guarujá está pronto para receber a Petrobrás, temos um Gabinete de Sindicalistas dos Petroleiros, podiam pelo menos baixar o preço dos combustíveis na Ilha de Santo Amaro, já estariam beneficiando muita gente!!!!!
Mas vamos lá, o Sistema A Tribuna adora bater no Guarujá, acredito que poderíamos mudar o apelido de Pérola do Atlântico para Mulher de Malandro…hehehehehe, mas a verdade é que Santos tem problemas tão piores quanto o Guarujá. Por exemplo, segunda-feira, 39º, Poupatempo na Av. João Pessoa, uma criança de 9 anos passa mal, desmaia, e o que acontece??? Absolutamente nada. Apesar do Poupatempo atender 4.000 pessoas por mês, não dispõe de Enfermaria, ou seja, você é obrigado a chamar o SAMU (Resgate).
Você socorre à criança ao Posto de Saúde (Policlínica) da Av. Afonso Pena, filas de espera com mais de 5 horas no Posto de Saúde. Bem após o susto, a revolta. Você telefona no Jornal A Tribuna, reclama, indigna-se, solicita a publicação na Coluna do Leitor e…..absolutamente nada……afinal a Cidade de Santos é perfeita, não existem roubos, assaltos, enchentes, problemas de atendimento…..Santos equivale-se ao Principado de Liechtenstein.
Não estamos ficando bonzinhos, na verdade existe um culpado pela situação de abandono do Guarujá, ele não tem culpa total, mas tem uma grande participação, este homem chama-se José Serra (Mr. Burns), o nosso Governador do Estado de São Paulo.
Ahhhhhhhh, os caras são Petistas, nada disso, pé-de-pato, mangalô, três vezes…toc..toc…toc….na madeira. A verdade é que não conseguimos ver nenhuma ação efetiva do nosso Governador no Guarujá.

A água fornecida pela Sabesp está contaminada, alguém viu a coloração da água no ultimo sábado, tivemos que cozinhar com água mineral.

As Delegacias de Policia do Guarujá estão abandonadas, sem pessoal, recursos, o atendimento é lento, realmente um Policial trabalha por responsabilidade social não por salários.

A Policia Militar é um caso a parte, não temos viaturas novas, o policiamento é ineficiente e o reforço de verão é subsidiado pelos comerciantes do Guarujá.

A Saúde é desesperadora, enquanto o Governador implanta AMEs em Santos, São Vicente, cidades em média com 8,11 Hospitais, estamos sujeitos a ser atendidos no Hospital Santo Amaro. Estamos sem um Sistema de Saúde operando no Guarujá, Maternidade fechada, não temos Demartologistas, atendendo na Saúde. A Unidade de Pronto-Atendimento, conhecida como PAM-Rodoviária e chamado carinhosamente hoje pelos Médicos de “Pânico”.

Enquanto isso, todos coçam as mãos com a construção de um Túnel Continental que inundará o Guarujá de veículos provenientes de Santos, novos moradores e a cidade sem qualquer estrutura para no mínimo organizar a questão do trânsito, nem mesmo temos uma Companhia de Engenharia de Trafego no município.

Temos que ser racionais nos faltam opções, muitas opções. Votar em Dilma é um erro enorme, é a continuidade da bandalheira Petralha que assola o país nos últimos 8 anos, eleger o Governador José Serra (Mr. Burns), é eleger um homem que nada fez pelos Guarujaenses e a Ilha de Santo Amaro.

Quais interesses ocultam o fechamento da Maternidade Ana Parteira??????

Fiquei muito triste ao ver na Televisão o fechamento da Maternidade Ana Parteira em Vicente de Carvalho, e como foi feito o fechamento.

Muito mais triste por ler no Jornal do Guarujá que a determinação do fechamento da Maternidade foi do Secretário de Saúde Gerônimo Vilhanueva, que como Médico Funcionário Público e ex-presidente da Câmara Municipal do Guarujá, está deixando a desejar devido aos problemas existentes hoje na Ilha de Santo Amaro.

Em um município onde a saúde tecnicamente não existe, gostaríamos de saber quais os interesses ocultos em não permitir o funcionamento de uma Maternidade desde a sua inauguração, interesses inclusive políticos, uma unidade de Saúde que vem atendendo a milhares de pessoas nos últimos 8 meses de funcionamento.

Mais triste ainda é verificar a incompetência dos nossos administradores que simplesmente resolvem fechar Postos de Atendimento Médicos Hospitalares do que corrigir os problemas dos mesmos, como vem ocorrendo no Guarujá.

Vamos contar cronologicamente a historia e os fatos que envolvem a Maternidade Ana Parteira, e deixamos você leitor tirar suas conclusões:

Ana Fernandes de Freitas – Ana Parteira. Trata-se de uma homenagem à farmacêutica e enfermeira, que nasceu na cidade do Porto, em Portugal, em 9 de outubro de 1900. Ela chegou ao Brasil em 1913 e, inicialmente, residiu em Santos. Em 1928, Ana veio para Vicente de Carvalho, morando, até sua morte, em 22 de abril de 1988, no mesmo local – Rua Itapema, 12, no bairro Bocaina.

Sem formação acadêmica na área, Ana aprendeu as técnicas de obstetrícia na prática. Ao longo de sua vida, fez mais de 3 mil partos, ficando conhecida em toda Cidade como Ana Parteira.

Ana Fernandes de Freitas foi proprietária de uma das primeiras farmácias de Vicente de Carvalho, chamada Nossa Senhora do Carmo, localizada na própria rua onde residia. Durante a gestão do prefeito Jayme Daige, foi homenageada pela Câmara Municipal com a medalha do Mérito do Trabalho.

Quarta-feira, 11 de junho de 2008 A Unidade Materna Infantil Ana Parteira será um complexo hospitalar, composto de maternidade e hospital de saúde da mulher. O equipamento está instalado à Rua Manoel Alves Ferreira s/nº, no Pae Cará, anexo à Unidade de Pronto Atendimento, ao lado da Unidade Mista, localizadas na Avenida São João, 111.

A unidade – que está em fase final de instalação dos equipamentos, maquinário e partes elétrica e hidráulica – têm o objetivo de reduzir a mortalidade materno-infantil, instituir o parto humanizado e ampliar as cirurgias ginecológicas e o serviço de planejamento familiar, atualmente funcionando na Unidade da Saúde da Mulher (Rua Marivaldo Fernandes, s/n°, na Vila Júlia, no bairro Enseada)

A futura unidade materna infantil funcionará, inicialmente, com 25 leitos, mas deverá, em pouco tempo, ganhar outros 25. Eles serão destinados às cirurgias ginecológicas, cirurgias do planejamento familiar e partos. A unidade hospitalar terá capacidade para realizar 200 partos e 100 cirurgias por mês.

O complexo contará com pronto-socorro, maternidade e hospital, sendo que este terá, no piso térreo, recepção, dois consultórios médicos e um centro cirúrgico, composto por três salas de cirurgia e duas de parto humanizado. A unidade também contará com central de esterilização, que será referência para todas as unidades da Secretaria da Saúde.

Outros serviços também funcionarão no prédio. Entre eles, o almoxarifado, vestiários e lavanderia (a ser montada também como referência). No primeiro e segundo andares estão acomodadas as unidades de internação e o berçário.

Jornal O Itapema – 24/07/2008
Esbugalhado

Piasenti espumava, berrava e esbugalhava os olhos, ‘desafiando’ a imprensa a deixar a sessão e ir com ele à recém-inaugurada Maternidade Ana Parteira, para constatar que ela ainda não está funcionando.
Ele bem que podia economizar um pouco de saúde de suas artérias – olha a pressão estourando aí, vereador… – e se dar ao trabalho de ler o noticiário, aliás, o próprio site da Prefeitura, na parte que relaciona as matérias divulgadas ao grande público. Os chamados ‘releases’.
Espumante
O vereador, Piasenti, veria que na própria inauguração, no sábado anterior, a Prefeitura anunciou que o centro hospitalar estaria aberto ao público dentro de vinte dias. Até lá, últimos trabalhos de instalação de equipamentos.
Se ele se desse ao trabalho de ler e não se arvorasse o direito de dizer à imprensa como trabalhar – primeiro passo para, se um dia chegar ao poder, tornar-se um ditadorzinho de segunda… -, Spumanti veria que é preciso esperar esse prazo para, então, cobrar do Poder Público.
Mas cobrar com honestidade, e não como animador de platéias. Isso não é papel de vereador.

05 de Agosto de 2008 – Denuncia ao Ministério Público
Fonte http://www.antonieta.ibtv.com.br/plano_governo/processo3.htm

EXCELENTÍSSIMO SENHOR PROMOTOR DE JUSTIÇA DA COMARCA DE GUARUJÁ

VALMIR SOARES DA ROCHA, vem respeitosamente à presença de Vossa Excelência, SOLICITAR O DEVIDO PROCESSAMENTO DESTA REPRESENTAÇÃO E PROVIDÊNCIAS, no sentido de engendrar procedimento judicial, objetivando apurar possíveis irregularidades no Hospital de Vicente de Carvalho cometidas pela Administração Pública, por ocasião da inauguração do mesmo próprio público como Hospital Maternidade Ana Parteira, na não contratação de pessoal técnico para as funções inerentes da saúde e, finalmente, nas indevidas instalações daquela unidade de saúde, o que inviabiliza o seu funcionamento ao atendimento hospital.

DOS FATOS

A Prefeitura Municipal de Guarujá, por intermédio do Diário Oficial do Município do dia 2 de junho de 2008, noticiou a inauguração do Hospital Maternidade Ana Parteira, em Vicente de Carvalho, nas instalações do próprio público à avenida São João, bairro do Pae Cará, no Distrito de Vicente de Carvalho. Na matéria a Administração Pública informa que o Hospital Maternidade entrará em atividade em vinte dias, prometendo sua entrega para em até 20 (vinte) dias.

Ao contrário do que prometeu o chefe da Administração Pública, fotos tiradas no interior do hospital mostram uma realidade contrária, com vários equipamentos encaixotados e corredores vazios com várias salas fechadas, impedindo o acesso de qualquer pessoa.Denúncias de funcionários públicos da área de saúde evidenciam ainda que dificilmente as promessas do chefe do executivo tornar-se-ão realidade pelo simples fato de não terem sido atendidas várias exigências legais previstas na Resolução – RDC nº 50, de 21 de fevereiro de 2002 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA (ANEXO), que dispõe sobre o Regulamento Técnico para planejamento, programação, elaboração e avaliação de projetos físicos de estabelecimentos assistenciais de saúde, como indicamos a seguir:

UTI – NEONATALA Administração Pública não previu a instalação de uma UTI-NEONATAL nas dependências do Hospital Maternidade Ana Parteira o que pode colocar em risco a vida dos recém-nascidos que tiver algum problema ao nascer. Observe-se que, neste caso não haverá técnico mínimo e necessário para preservar a vida da criança.

INTERNAÇÃO DE RECÉM NASCIDOS (RNs) ATÉ 28 DIASa Resolução Anvisa nº. 50, prevê na ATRIBUIÇÃO 3, ATIVIDADES 2, as exigências para a internação de RNs de até 28 dias (neonatologia). Uma simples leitura nos permite observar que não há observação para esta exigência, tanto na previsão do item 3.2.2 (proporcionar condições de internar recém-nascidos, patológicos, prematuros e externos que necessitam de observação),como também do item 3.2.3 (proporcionar condições de internar pacientes críticos em regime intensivo) e, muito menos o item 3.2.6 (prestar assistência nutricional e dar alimentação aos recém-nascidos).Observa-se que nem mesmo uma sala sequer está preparada para estes serviços.

PRESTAÇÃO DE ATENDIMENTO DE APOIO AO DIAGNÓSTICO E TERAPIAA atribuição 4 da Resolução ANVISA nº 50 prevê vários procedimentos para a Prestação de atendimento de apoio ao diagnóstico e terapia, não existe o mínimo básico para atender o básico estipulado. A administração não instalou, ainda, sala para a fazer a desinfecção do material analisado a ser descartado, previsto na atividade 4.1.5 - de Patologia clínica. Quanto à realização de partos normais, cirúrgicos e intercorrências obstétricas previstos nas atividades 4.7., da Resolução ANVISA nº.50, também, segundo os funcionários do setor de saúde, não há condições nenhuma de se manter aberto um setor que está sendo destinado para este fim, pois não atende o básico estipulado pela ANVISA, para o funcionamento dessa unidade.

NUTRIÇÃO E DIETÉTICAAinda segundo os funcionários da área da saúde do município, há o espaço físico destinado para os serviços de a confecção de refeições hospitalar, mas não até o momento não foram efetuadas as instalações dos equipamentos. Atualmente o fornecimento de apenas duas refeições diárias é feito pelo Hospital Santo Amaro, para os 2 principais Pronto Socorros do município, PAM Rodoviária e PS Vicente de Carvalho e os funcionários do Distrito nem sempre tem alimentação garantida, já que freqüentemente falta comida. Observamos que a ATRIBUIÇÃO 5, da Resolução ANVISA nº.50, que prevê toda a prestação de serviços de apoio técnico, está comprometida, na ATIVIDADE 5.1 pois a Administração Pública além de não adequar, ainda, local para as instalações visando, “Proporcionar condições de assistência alimentar a indivíduos enfermos e sadios”.

LAVANDERIA – A Administração Pública previu o espaço destinado para tal setor, porém, os equipamentos e equipe não foram instalados ou programados ainda. Atualmente este serviço é executado nas dependências do Hospital Santo Amaro que lava todas as roupas que são utilizadas por todas as unidades de saúde do município.

Não foram contempladas as demais atividades da atribuição 5, da Resolução ANVISA nº.50: 5.2-Proporcionar assistência farmacêutica e 5.3- Proporcionar condições de esterilização de material médico, de enfermagem, laboratorial, cirúrgico e roupas, não há o que se comentar antes do início efetivo das atividades do hospital porém, é preocupante observar-se a falta de equipamentos e funcionários necessários para desenvolvê-las.

O serviço de lavagem e preparo das roupas hospitalares era realizado pelos funcionários da empresa Monte Azul, que foram dispensados sem que houvesse a devida substituição. Observe-se que, atualmente, a lavagem e preparo das roupas hospitalares e dietas fornecidas aos pacientes que aguardam vaga hospitalar no U.P.A. de Vicente de Carvalho, são feitas pelo Hospital Santo Amaro, QUE NÃO PODERÁ CONTINUAR A PRESTAÇÃO DESTES SERVIÇOS PARA O MUNICÍPIO, SEM O DEVIDO REPASSE, COM O RISCO DE COMPROMETER SUA SAUDE FINANCEIRA.

UTI – ADULTO – A Administração Pública também não previu a instalação de UTI-adulto no Hospital Ana Parteira o que pode colocar em risco a vida da mãe que tiver algum problema no parto ou necessite de alguma intervenção cirúrgica ou mesmo alguma outra programada. Não haverá um setor específico no Hospital Maternidade que possa ser feito o mínimo de cuidado específico.

Na Parte 3 da Resolução ANVISA nº. 50, que dispõe sobre os critérios para projetos de estabelecimentos assistenciais de saúde, no item 4.4- circulações verticais, o item c1 descreve os elevadores destinados ao serviço, não definindo o número deste equipamento a ser utilizado, mas é imperativo quanto a separação do uso, tanto para visitantes como para pacientes.

Ainda neste item define a utilização de tubos de queda, que servem para transportar as roupas sujas, o que não é previsto no Hospital. Podemos concluir que as roupas usadas pelos pacientes descerão pelo elevador, que também será utilizado para transportar visitantes, pacientes, recém-nascidos, enfim todos que irão necessitar dos serviços prestados por essa instituição.

No capítulo 7, Sistemas de Emergência, foi observado pelos funcionários do sistema de saúde do município o não o funcionamento efetivo de tal sistema no Complexo Hospitalar de Vicente de Carvalho. Por diversas vezes houve queda de energia em todo o Complexo, devido à sobrecarga do sistema e os técnicos dizem que toda a parte elétrica foi mal feita e não houve nenhuma atividade comprovada do gerador pelo qual está destinado para servir em caso de queda de energia. Ainda segundo os funcionários da área de saúde, houve uma orientação para que não ligassem os aparelhos de ar condicionado do OS, que não funcionam desde a sua inauguração (jan 2008), devido a sobrecarga que derrubaria a rede elétrica.

BANCO DE SANGUE - A previsão do Banco de Sangue na unidade de saúde do porte de um hospital Maternidade é imperativa na Resolução 50 da ANVISA, e a Administração Pública não previu sua instalação no Hospital Maternidade de Vicente de Carvalho. A exigência do Órgão do Ministério da Saúde é devido à característica de certas intervenções cirúrgicas que necessita da previsão de transfusão de sangue e, pelo que estamos vendo, não haverá este recurso neste hospital.

HIGIENIZAÇÃOserviço pelo que já não tem há algum tempo e que infelizmente não terá neste Hospital, atualmente é realizado por pessoas sem o mínimo de preparo para trabalhar neste setor que é totalmente contaminado e sem nenhum tipo de EPI (Equipamento de Proteção Individual), que deve ser usado para este tipo de serviço.

ELEVADOR A Administração instalou um elevador no Hospital de Vicente de Carvalho. Pelo tipo de atividade prevista para o Hospital Maternidade, que prevê a internação das parturientes, a Resolução 50 da ANVISA, define em sua Parte III, 4 – Circulações Externas e Internas, item 4.4. Circulações Verticais, (…) deve possuir elevador de transporte e pacientes em macas. Ainda neste item 4.4., da Resolução ANVISA, os itens c) Elevadores, define que sempre que o(s) elevador(s) instalado não satisfizer o tráfego, calculado de acordo cm os valores mínimos discriminados no item c.1, devem ser instalados elevador(es) adicional(is) para o transporte de funcionários, visitantes e materiais. Com a inauguração do Hospital Maternidade os funcionários que ora denunciam as irregularidades, entendem que haverá um colapso no fluxo de pacientes, funcionários, visitantes e materiais na utilização de apenas um elevador e que a Prefeitura deveria prever na avaliação inicial a instalação de, pelo menos um segundo equipamento para o transporte de uso comum, da população em geral, e outro para o uso interno, para transporte de roupas contaminadas, alimentações e medicações, etc. Ainda segundo os funcionários denunciantes das irregularidades, no prédio quando em construção não havia nenhuma estrutura para a instalação de outro elevador. Desta forma, para atender uma possível necessidade de instalação de mais elevadores no Hospital Maternidade, é imperioso a revisão do projeto estrutural do prédio para a instalação do poço e caixa(s) do(s) elevador(es).

INSTALAÇÕES SANITÁRIASSegundo os funcionários a Administração Pública não previu uma estação de tratamento do esgoto sanitário para o seu lançamento seguro na rede de esgoto público.

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS – Os funcionários denunciam que a Administração Municipal não efetuou um cálculo e consumo para o uso de todo o sistema de iluminação e equipamentos do Hospital, mesmo antes da instalação do Hospital Maternidade. Tal afirmativa encontra guarida quando todos os dispositivos elétricos são acionados, o sistema de segurança (disjuntores ou barramento) cai, deixando a Unidade de Saúde às escuras.

SISTEMA ELÉTRICO DE SEGURANÇAOutra denúncia encaminhada é a falta de dispositivo de segurança previsto na Resolução 50 da ANVISA, Item 7.2.1. A administração Pública não instalou equipamento para atender a exigência da recomendação da ANVISA para as classes 0,5 – Fonte capaz de assumir automaticamente o suprimento de energia em, no máximo, 0,5 segundos e mantê-la por no mínimo 1 hora, destinada à iluminação de luminárias cirúrgicas. A Administração Pública não instalou ainda equipamentos para suprir a classe 15 – equipamentos eletro-médicos utilizados em procedimentos cirúrgicos, sustentação de vida e aqueles integrados ao suprimento de gases cuja alimentação deve ser chaveada para a fonte de emergência em no máximo 15 segundos, quando a rede elétrica acusar queda superior a 10% do valor nominal por um período superior a 3 segundos devendo garantir o suprimento por 24 horas.

FUNCIONÁRIOS NÃO HABILITADOS Segundo os funcionários da área de saúde existem no Hospital postos de trabalhos terceirizados pela Prefeitura Municipal, que por intermédio do Centro de Assistência e Amparo ao Trabalhador – CAAT, ocupam funções de relevância na estrutura organizacional da Unidade de Saúde. Outras funções de menos relevância, mas de importância fundamental para o bom desempenho das atividades do hospital, também estão terceirizadas pela Administração Pública, que encontrou na CAAT um parceiro eficiente. Segundo matéria divulgada no site da entidade, o CAAT disponibilizou treinamento para noventa mulheres da frente de trabalho que atuam no setor de limpeza da área de saúde na cidade. Ainda na matéria, o coordenador Paulo Pastorello, afirma que “… a maioria das pessoas que estava no treinamento não tinha o mínimo de alfabetização e que depois desse curso elas farão o possível para se aprimorar nos seus trabalhos, buscando melhorar o grau de escolaridade”.

DO PEDIDO

Perceba Excelência:

A Prefeitura Municipal inaugura um Hospital Maternidade e não atende exigências mínimas da ANVISA para a funcionalidade e segurança dos usuários utilizando métodos não condizentes dom aqueles exigidos para uma administração pública que obriga os funcionários a denunciar as irregularidades praticadas em um estabelecimento público que deveria primar pela preservação da saúde e vida. A Administração Municipal peca buscar promoção com a inauguração do Hospital Maternidade que não dá garantia de segurança aos seus usuários.

ISTO POSTO REQUEIRO o recebimento e devido processamento desta REPRESENTAÇÃO para apuração de possíveis irregularidades no Hospital Maternidade de Vicente de Carvalho, utilizando Vossa Senhoria da ferramenta jurídica entendida pertinente (procedimento preparatório, inquérito civil, etc.).

É o que se requer,

Guarujá, 05 de agosto de 2008.

Valmir Soares da Rocha


NOTA DO COLUNISTA

Por que após 180 dias da Protocolização da Petição acima, o Ministério Público Estadual não interditou a Maternidade Ana Parteira, permitindo mais de 2.600 Partos????

Se utilizarmos os argumentos descritos na Petição acima e o Código Sanitário Estadual e Federal quantas Unidades Básicas de Saúde, Postos de Atendimento Médico, Postos de Saúde, teremos que fechar no Guarujá????

Se utilizarmos o Código Sanitário Estadual especificamente na área de alimentos, quantos Quiosques, Carrinhos de Ambulantes e Estabelecimentos Comerciais teremos que fechar por não cumprimento da Legislação Sanitária, ignorada pelos Agentes Municipais de Saúde, principalmente nos Supermercados no Guarujá??????

Será que na Maternidade Ana Parteira existe a população de ratazanas e roedores na mesma proporção que existe no Paço Municipal??????

12/01/2009 –Nosso Bairro.com
Inaugurada no dia 21 de junho, a Maternidade Ana Fernandes de Freitas – Ana Parteira, em Vicente de Carvalho, Guarujá, atendeu 2.526 mulheres, em seus primeiros seis meses de atividades.

O balanço foi divulgado no dia (26), pelo diretor responsável, Eduardo José Rimi. Do total de atendidas, 380 foram encaminhadas para a maternidade do Hospital Santo Amaro, para não correr riscos, por serem casos de alta complexidade.

Por enquanto, a Maternidade Ana Parteira está funcionando com apenas 50% da capacidade, ou seja, 25 dos 50 leitos existentes, incluindo berçário.

Até 21 de dezembro, foram realizados 90 partos, dos quais 61 normais e 29 por cesariana, sem que houvesse uma única morte materna. Ao todo, os números apresentados foram de 89 nascidos vivos e um natimorto (retirado já sem vida). Foram ainda medicadas 638 mulheres, que posteriormente repousaram na Unidade Materno-Infantil.

A Unidade contabilizou, nesses seis meses, 179 internações. Foram 69 para tratamento clínico, 50 ginecológicas e 60 obstétricas. Houve, ainda, outras seis internações obstétricas não relacionadas a parto.

A munícipe Luciene Nunes dos Santos, há 15 anos residindo em Guarujá, esteve internada na Unidade Materno-Infantil Ana Parteira, onde deu à luz a uma criança. Na ocasião, ela gostou do atendimento e afirmou que a instituição lembra muito um hospital particular. “Não tenho nada a reclamar, muito pelo contrário, só a agradecer”, enfatizou.

Atualmente, a instituição conta com 53 funcionários, entre manutenção, enfermagem e administrativo, todos pertencentes ao Centro de Atendimento e Amparo ao Trabalhador (CAAT).

Alimentação – A Maternidade Ana Parteira fornece 400 refeições, entre almoço e jantar, para funcionários e pacientes da Unidade, além de servir a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Rodoviária e, também, os funcionários do serviço de Resgate (192).

Jornal O Itapema – 14/02/2009
Caso de polícia

Denúncias de familiares dão conta que no Hospital Ana Parteira – VC – não tem pediatra de plantão. Uma criança que nasceu no local só foi assistida na hora do parto. Só apareceu um médico pediatra quarenta e oito horas depois para dar alta para a criança, sem nem mesmo examina-la. Um absurdo.