chinasamu
MOMENTO HISTÓRICO NO GUARUJÁ!
por Solange Rua da Silva – Facebook
.
Hoje, testemunhei e participei de um momento histórico na cidade do Guarujá.

Nós professores, fomos à Câmara Municipal do Guarujá para evitar a votação de um projeto inaceitável: correção da tabela e reajuste de 0,5%, e que se tornou motivo de desavença entre as categorias. Conseguimos o apoio de todos os vereadores, TODOS MESMO, que decidiram votar, aprovando a correção da tabela, mas não o reajuste! Questão, como coloquei acima: estava dividindo as classes trabalhistas.

A Guarda Municipal, uma dessas categorias, que chegou à Câmara hostilizando os professores e querendo que os vereadores votassem o projeto, já que a promessa de correção das tabelas se estendia por mais de um ano e meio, depois de muitas agressões verbais(claro que sempre há exceções) contra os professores, ao final uniram-se a nós num só grito: ‘O servidor unido jamais será vencido!’ Já não era mais professor X guarda municipal ou qualquer outra categoria, tornamo-nos um só. Foi um momento emocionante, pois nós professores lavamos a alma, já que estávamos sendo apontados como vilões, e finalmente passávamos a ser compreendidos.

Os vereadores ficaram ainda mais convictos de sua decisão, de não votar o projeto como estava: tabela mais reajuste(0,5%), após telefonema da nossa prefeita, que em tom ameaçador lhes disse que se não votassem o projeto, ela nem teria o trabalho de olhar a ‘folha’. O vereador disse ao microfone, para nós que ocupávamos todo o plenário, que foi uma ameaça velada… Não foi velada não, foi bem direta e claríssima!

Então, é essa a nossa prefeita, que de forma autoritária, arbitrária, ameaça os vereadores e tem ameaçado a nós professores. Os vereadores, por unanimidade, votaram apenas a correção das tabelas e irão abrir discussão para o índice de reajuste, a partir de amanhã. E deixaram mais do que claro, falando abertamente sobre a conduta ditatorial da prefeita, que eles não mais aprovarão, ou se intimidarão, com tal comportamento.

Eles também destacaram o momento como histórico, em que a força da união do povo foi decisiva para a convicção de seus votos. Foi curioso ver a oposição e a situação lado a lado, numa só voz. À parte todos os possíveis interesses políticos envolvidos, o que venceu foi a vontade do POVO!

Vale também destacar um momento em que um dos vereadores lê um discurso da nossa prefeita, quando ainda era vereadora, em que ela defende fervorosamente um aumento decente para os servidores. Que só com uma boa remuneração conseguiríamos profissionais de qualidade; que os salários estavam defasados e ‘correção das tabelas’ era algo que não se discutia, Se FAZIA. Dizendo ainda que só… 7% de aumento era um absurdo! Que o aumento deveria ser muito maior!… Isso, naquela época. Agora, 2014, nós professores estamos pedindo 8%, que nada mais é que o índice da inflação. Nem dá para considerar aumento, pois nem é, apenas evita o achatamento do nosso salário. Onde foi parar todo esse idealismo, esse discurso em favor do trabalhador, toda essa disposição para caminhar ao lado dos direitos do povo, defendendo seus interesses? Se perdeu na poeira da síndrome do poder?

Ainda na câmara, ficamos sabendo que panfletos eram distribuídos à população, caluniando os professores e tentando acabar com a legitimidade da greve. Então, agora será a nossa vez de panfletar, explicando à população exatamente quem são os vilões desta triste história; esclarecendo reportagens tendenciosas, desfazendo calúnias sobre o nosso real salário, desmascarando a prefeita e aqueles que a apoiam, como o chefe de gabinete que se prestou a um papel ridículo, fazendo pressão psicológica em cima da categoria. “Professor” Cândido… agora SÃO 83% DE PROFESSORES parados. Que tal? Agora a insatisfação ficou mais clara?! Se considerarmos o caso daqueles professores que só não estão parados por não terem estabilidade, mas apoiam a greve, subimos o número para 93%!!!

Fazia tempo que não sentia orgulho em ser professora, orgulho da minha classe, orgulho da força do povo, que quando se une em direção a um objetivo comum torna-se imbatível!

Estou cansada, já que desde segunda feira saio de casa às 6 e volta às 17(certamente dar aula é menos cansativo e mais prazeroso) mas o cansaço é só físico, pois a alma está jubilosa!

Claro que ainda temos que esperar a palavra da nossa excelentíssima prefeita, mas já temos a união das categorias, o apoio de TODOS os vereadores, e uma adesão incrível de professores.

A greve continua, pois ainda temos uma longa jornada. Não podemos retroceder agora.

PROFESSORES DE GUARUJÁ IRÃO NEGOCIAR NOVO REAJUSTE SALARIAL APÓS SESSÃO NA CÂMARA MUNICIPAL DE GUARUJÁ.
VEREADORES NÃO VOTARAM NA PROPOSTA DE REAJUSTE SALARIAL DE 0,5%. PROFESSORES DA REDE PÚBLICA DA CIDADE ESTÃO EM GREVE DESDE SEXTA-FEIRA.
 
.
GOVERNO MARIA DE BRITO: “PROFESSOR QUE CONHECE, NÃO CONFIA!”
.

chinasamu

Imagem  —  Publicado: 22/07/2014 em Esporte, Governo, Guarujá, Humor, inconfidencia, inconfidentes, manoel antonio vergara, Notícias, Política
Tags:, , , , , , ,


MINISTÉRIO PÚBLICO,EXISTE UMA PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR NAS RUAS DE GUARUJÁ E NO DISTRITO DE VICENTE DE CARVALHO:
QUAL FOI A VERBA “EXCEDENTE” DA EDUCAÇÃO QUE PAGOU A PANFLETAGEM PRÓ-GOVERNO CONTRA OS PROFESSORES DE GUARUJÁ: SERÁ O CONTRAFILÉ QUE VIROU COXÃO MOLE? SERÁ A COMPRA DA ESCOLA FANTASMA? SERÃO OS UNIFORMES QUE NUNCA CHEGAM À REDE PÚBLICA? SERÃO OS KITS ESCOLARES COM MOCHILAS ESPACIAIS? SERÁ O CONTRATO DAS LOUSAS ESCOLARES OU O CONTRATO DE MANUTENÇÃO? SERIA TALVEZ O CONTRATO DA PLANETA EDUCAÇÃO E OS SEMINÁRIOS COM AS MAÇAS PASSADAS E O ALGUM PÃOZINHO AMANHECIDO??
 
panfletosprofessores
.
POIS É, PAPEL E TINTA CUSTA DINHEIRO E PIOR, PAPEL ACEITA TUDO, PRINCIPALMENTE A REALIDADE MAQUIADA!
.

CÂMARA APROVA CUIDADOR NAS ESCOLAS PARA ALUNOS COM DEFICIÊNCIA
COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA (CCJ) APROVOU NESTA QUARTA-FEIRA (12), EM CARÁTER CONCLUSIVO, PROPOSTA QUE OBRIGA AS ESCOLAS REGULARES A OFERECEREM CUIDADOR ESPECÍFICO PARA ALUNOS COM DEFICIÊNCIA.
 
cuidadoresespeciaislei

 

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) aprovou nesta quarta-feira (12), em caráter conclusivo, proposta que obriga as escolas regulares a oferecerem cuidador específico para alunos com deficiência, se for verificado que eles precisam de atendimento individualizado. A iniciativa está prevista no Projeto de Lei 8014/10, do deputado Eduardo Barbosa (PSDB-MG).

Fátima Bezerra votou pela aprovação das mudanças feitas pela Comissão de Educação.

A relatora, deputada Fátima Bezerra (PT-RN), defendeu a constitucionalidade do texto, com a inclusão das emendas da Comissão de Educação. Essas emendas substituem, no projeto, a expressão “portador de necessidades especiais” por “pessoa com deficiência”, em atenção ao recomendado pela Convenção sobre o Direito das Pessoas com Deficiência.

A matéria seguirá agora para análise do Senado, exceto se houver recurso para que passe antes pelo Plenário da Câmara.

Educação inclusiva

A legislação brasileira incentiva a inclusão dos estudantes com deficiência no ensino regular, deixando o ensino especial para aqueles com características específicas. Por isso, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (9.394/96) prevê o serviço de apoio especializado aos alunos com deficiência matriculados nos colégios regulares. A proposta aprovada inclui explicitamente o cuidador como parte desse suporte, desde que necessário.

Fonte:Agência Câmara Noticias


atasalarioprofessores

Imagem  —  Publicado: 22/07/2014 em Esporte, Governo, Guarujá, Humor, inconfidencia, inconfidentes, manoel antonio vergara, Notícias, Política
Tags:, , , , , ,


NOVAS REGRAS PERMITEM SÓ 107 MUNICÍPIOS CRIADOS NO PAÍS.
ENTRE OS 107 DISTRITOS, SEIS TÊM POPULAÇÃO IGUAL OU SUPERIOR AO RESTANTE DO MUNICÍPIO OU SEJA, MAIS CHANCES DE TER O PEDIDO APROVADO EM CONSULTA PÚBLICA. O MAIOR DELES É VICENTE DE CARVALHO, DISTRITO DE GUARUJÁ (SP).
 
emancipabrasil
.

À espera de votação no Congresso, o novo projeto que estabelece regras e permite a criação de novos municípios no país restringe a 107 distritos as condições para ao menos iniciar um processo de emancipação. Esse cenário a partir do cruzamento de dados do IBGE, indica como a regra atualmente em discussão é mais restritiva do que a aprovada no Congresso no ano passado. Segundo o projeto anterior, vetado pela presidente Dilma Rousseff sob o argumento de que haveria aumento de despesas, 269 distritos se enquadravam na regra sobre população mínima para iniciar o processo de emancipação.

Com a reformulação da proposta no Congresso, a população mínima exigida passou de 8.400 para 12 mil habitantes no Nordeste. No Sul e Sudeste, o mínimo passou de 12 mil para 20 mil. Para Norte e Centro-oeste, a exigência é de 6.000 habitantes. O levantamento que identificou esses 107 distritos não considera as capitais e respectivas regiões metropolitanas, onde há poucos pedidos de emancipação.

Entre os 107 distritos, seis têm população igual ou superior ao restante do município ou seja, mais chances de ter o pedido aprovado em consulta pública. O maior deles é Vicente de Carvalho, distrito de Guarujá (SP). Entre os distritos que ficaram de fora da lista com a nova regra está Taboquinhas, em Itacaré (BA), com 10 mil habitantes. Agora, o grupo pró-emancipação diz que vai esperar a nova contagem populacional para refazer o pedido de separação da cidade-sede, a 30 km de distância.

Interesse eleitoral

Para Paulo Ziulkoski, da Confederação Nacional dos Municípios, o novo projeto foi uma “resposta equivocada” e voltou à tona apenas por interesse eleitoral. “Há regiões no Brasil em que se deveria criar municípios, como o Norte e Centro-oeste”, afirma. Favorável à emancipação, o professor da Unicamp Edison Favero elenca como benefícios a melhora na distribuição de renda e autonomia administrativa. E nega forte aumento nos gastos. Segundo ele, isso só ocorre porque algumas cidades-sede perdem território e população, mas não reduzem o número de funcionários públicos.

Fonte: Capital News