TJ-SP SENTENCIA PREFEITA DE GUARUJÁ POR CONTA DE ‘FURA FILAS’ NA BALSA
PREFEITA E DIRETORA DE TRÂNSITO FORAM SENTENCIADAS. DECISÃO CABE RECURSO. CASO FISCALIZAÇÃO NÃO SEJA CUMPRIDA, MULTA É DE R$ 5 MIL.
 
 

A travessia de balsa entre Santos e Guarujá, no litoral de São Paulo, se tornou alvo da Justiça. O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) sentenciou em segunda instância a prefeita Maria Antonieta de Brito (PMDB) e a diretora municipal de trânsito, Quetlin Scalione, por falta de fiscalização na travessia.

A ação foi movida por associações de usuários do transporte. O problema apontado seria a falta de fiscalização por parte de agentes de trânsito, com relação aos motoristas que desrespeitam a fila da balsa, os chamados “fura filas”.

Na sentença, a Prefeita e a diretora de trânsito serão multadas em R$ 5 mil caso a Justiça observe que a fiscalização não seja respeitada. A Prefeitura de Guarujá e a Dersa, responsáveis por organizar a fila da balsa, também são citadas no processo.

Em nota, a Dersa informou que a decisão do Tribunal de Justiça apenas confirma o que já havia sido determinado em primeira instância. A Dersa afirmou que mantém a disciplina e organização dos veículos apenas em sua área de circunscrição, que tem início logo após o último semáforo da Avenida Adhemar de Barros, no acesso à praça de pedágio.

Ainda segundo a Dersa, a companhia mantém funcionários treinados para coibir os abusos.

Os motoristas flagrados nessa área tentando se beneficiar com uma posição melhor na fila são orientados a retornarem ao final. A Companhia lembra que não tem autonomia para aplicar multas ou fiscalizar o tráfego de veículos no viário municipal. A fiscalização ao longo da avenida, onde se forma a fila, é de responsabilidade do órgão de trânsito da cidade.

A decisão Tribunal de Justiça de São Paulo foi publicada, nesta quarta-feira (30), no Diário Oficial e os envolvidos ainda podem recorrer.

Fonte: A Tribuna On-Line 


HOMENS FICAM FERIDOS DURANTE TENTATIVA DE ASSALTO EM GUARUJÁ
POLÍCIA MILITAR FOI BALEADO. DOIS HOMENS FICARAM FERIDOS
DURANTE UMA TENTATIVA DE ASSALTO EM GUARUJÁ.
 


VISITEM O GUARUJÁ E SEJAM ASSALTADOS!
.

PREFEITURA DE GUARUJÁ NÃO PAGA OS VELHOS FORNECEDORES, 13º SALÁRIO, MAS CONTINUA FAZENDO CONTRATOS CAÇA-NIQUEIS ESCANDALOSOS!
CONTRATO DE CONSULTORIA DE TRÂNSITO É UMA REEDIÇÃO DO RECENTE ESCÂNDALO DE UM CONTRATO SIMILAR. QUANTO AO ASFALTO E BURACOS DA CIDADE, A POPULAÇÃO QUE MORRA!
 
 
…ENQUANTO SE LEVA UMA HORA PARA PRODUZIR UM CASO DE CORRUPÇÃO NO GUARUJÁ, O MINISTÉRIO PÚBLICO LEVA 10 ANOS PARA PRODUZIR UM PROMOTOR PARA FISCALIZAR, É DESIGUAL A LUTA!
.

PARABÉNS PROFESSORA MARIA ANTONIETA DE BRITO E SECRETÁRIA DE EDUCAÇÃO PRISCILA BONINI!
GUARUJÁ TEM O PIOR NÍVEL DE LEITURA, ESCRITA E MATEMÁTICA DA BAIXADA SANTISTA, DIZ MEC. PROFESSORAS ANTONIETA E PRISCILA BONINI PREPARAM SEUS ELEITORES PARA O FUTURO.

 

A cidade de Guarujá ficou com a pior classificação da Baixada Santista, no litoral de São Paulo, nos três quesitos da Avaliação Nacional de Alfabetização (ANA) de 2014, divulgados pelo Ministério da Educação (MEC) nesta quinta-feira (17).

A avaliação do MEC mede o conhecimento destes estudantes em diferentes níveis de três áreas: leitura, escrita e matemática. A avaliação é feita com alunos do 3º ano do fundamental, de escolas municipais e estaduais, em áreas urbanas e rurais. Há níveis em cada um dos quesitos, sendo o 1 considerado o pior. Já o 5 é o melhor.

Na escala de leitura, é considerado inadequado apenas o nível 1. Guarujá foi a cidade com o maior número de alunos neste nível, com 21,88% dos estudantes. Eles são capazes apenas de ler palavras com sílabas canônicas (compostas de uma vogal e uma consoante) e não canônicas.

Já Cubatão teve o melhor resultado da região na leitura. Cerca de 18,69% dos alunos se enquadram no nível 4, onde o estudante já deve ser capaz de reconhecer a relação de tempo em texto verbal e os participantes de um diálogo em uma entrevista ficcional, identificam outras estruturas sintáticas em textos curtos, como o pronome possessivo, o advérbio de lugar e o pronome demonstrativo, entendem o sentido de trechos de contos e o sentido de palavras em meio a texto mais compridos.
Em escrita, do nível 1 ao 3, os estudantes demonstram que não aprenderam o esperado.

Cerca de 11,35% das crianças de Guarujá “ainda não escrevem palavras alfabeticamente” e “provavelmente não escrevem o texto ou produzem textos ilegíveis”, segundo a ANA. Guarujá tem o maior número de alunos no nível 1 da Baixada Santista.

A cidade de Itanhaém lidera o ranking das cidades da região que tem o maior número de estudantes no nível 5 da escrita. Eles representam 19,73% dos estudantes avaliados. Esses alunos sabem continuar uma narrativa, com uma situação central e final, articulam as partes do texto com conectivos, separam e escrevem as palavras corretamente, mas ainda podem apresentar “alguns desvios ortográficos e de pontuação que não comprometem a compreensão”.

Já em matemática, são considerados níveis insuficientes de aprendizado o 1 e o 2, onde estão 21,19% dos alunos avaliados de Guarujá. Espera-se que as crianças saibam contar até 20, ler as horas e minutos em relógio digital e comparem objetos pelo seu comprimento, entre outras habilidades.

A cidade também ficou na pior colocação da Baixada Santista neste quesito, segundo dados da ANA.

Cubatão aparece como a cidade com o maior número de estudantes avaliados no nível 4 de matemática.

Cerca de 42,09% das crianças são capazes de ler as horas e minutos em relógios analógicos, sabem ler alguns elementos de gráficos de barra, fazem operação de subtração com até três algoritmos e divisão em partes iguais ou em proporcionalidade sem auxílio de imagens.

Entenda o exame

Em 2012, o governo criou o Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (Pnaic), um compromisso dos governos federal, estaduais e municipais para garantir que todas as crianças estejam alfabetizadas quando concluírem o 3º ano do fundamental.

A ANA, que começou a ser realizada em 2013, é feita com os estudantes em duas provas: na de língua portuguesa, há 17 questões de múltipla escolha e três de produção escrita.

Na prova de matemática, são 20 questões de múltipla escolha.
Na divulgação dos dados da ANA de 2014, a primeira vez que o resultado do Brasil foi divulgado publicamente, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) não indicou quais níveis de cada escala representam aprendizado adequado.

De acordo com o governo federal, em 2014 o Brasil tinha 3.294.729 estudantes matriculados no 3º ano do fundamental, considerando as redes pública e privadas, na zona urbana e em escolas do campo.

Fonte: Revista Digital de Noticias


Imagem  —  Publicado: 29/09/2015 em Esporte, Governo, Guarujá, Humor, inconfidencia, inconfidentes, manoel antonio vergara, Notícias, Política
Tags:, , ,


MAIS UMA SUPER LICITAÇÃO DO SUSPEITO GOVERNO MARIA DE BRITO DO PMDB EM GUARUJÁ?
ALGUÉM CONSEGUIRIA EXPLICAR POR QUE AS MEGA EMPRESAS COMO IBM, COMPAQ, ITAU, LENOVO, ACER, TOSHIBA, POSITIVO, NÃO PARTICIPAM DIRETAMENTE DAS SUPER CONCORRÊNCIAS DE INFORMÁTICA NO GUARUJÁ E OS FORNECEDORES SÃO SEMPRE OS MESMOS?
 
 
SERÁ QUE O MINISTÉRIO PÚBLICO DE GUARUJÁ CONSEGUE EXPLICAR?
.

MENINA TEM FRATURAS NO ROSTO POR CONTA DE BURACO EM VIA DE GUARUJÁ 
BURACOS EM VIAS PÚBLICAS SÃO ALVOS FREQUENTES DE RECLAMAÇÕES DOS MUNÍCIPES
 
.

Não é de hoje que os buracos nas vias públicas de Guarujá são alvo de críticas. No site Reclame Aqui, das 112 queixas contra a Prefeitura, 10% são referentes a esse problema, que está em terceiro no ranking geral de reclamações.

Além de deixar as vias públicas feias e causar danos a automóveis, os buracos também podem colocar pessoas em risco. Foi o que aconteceu com Maria Luísa, de 3 anos, que sofreu fraturas no rosto e ficou dois dias hospitalizada em razão de uma queda.

O acidente ocorreu na quarta-feira (16), por volta das 18 horas, quando a criança voltava da praia em uma cadeirinha na bicicleta de sua mãe, Wanderlea Silva de Souza.

Quando elas passavam pela Rua Arthur Costa Filho, quase esquina com a Buenos Aires, em Pitangueiras, o pneu dianteiro ficou preso em um buraco, o que as levou ao chão. A criança ficou com o rosto bastante machucado e foi encaminhada ao Hospital Ana Costa, em Santos, onde fez vários exames e ficou até a tarde desta sexta-feira (18), quando recebeu alta.

“Graças a Deus não aconteceu coisa pior. É um absurdo um buraco em uma avenida dessas. Poderia ter acontecido com qualquer pessoa”, afirma o pizzaiolo Antônio Júnior Vieira Rodrigues, pai da menina. “O que me deixa um pouco mais calmo é que ela está brincando, pede carinho. Mas é muito triste ver um filho em uma situação dessas, e ainda mais por causa de um buraco na rua. Vou processar a Prefeitura”.

 

Imposto

A Prefeitura tem obrigação de investir o dinheiro arrecadado de IPVA na melhoria da malha viária.

“Só no ano passado, R$ 28 milhões desse imposto foram destinados para Guarujá. Este ano, até julho, foram R$ 23 milhões. Tirando os 20% do Fundeb, o resto tem que ser investido na malha viária, em educação de trânsito. Mas não é isso o que vemos acontecer”.

Prefeitura

Consultada sobre o acidente, a Prefeitura informou que, a pedido da prefeita Maria Antonieta de Brito (PMDB), a chefe de Gabinete, Ana Paula Metropolo, conversou no início da manhã de ontem com o pai da criança e se colocou à disposição para o que for necessário. “Técnicos da Secretaria de Infraestrutura e Obras estiveram no local realizando os reparos”.

Além disso, a Prefeitura iniciou na última terça-feira (15) a Operação Tapa-buraco na Cidade, realizando serviços nos corredores principais e nas vias dos bairros. “Para efetuar a ação, a empresa contratada pela Prefeitura disponibiliza quatro caminhões, sendo três para tapa-buracos e um para o serviço de calcetaria. Desses, dois são destinados às avenidas principais e os outros dois para os bairros”.

Fonte: A Tribuna Digital