PROCURA-SE A PREFEITA DE GUARUJÁ NA PREFEITURA TRABALHANDO!
APÓS QUATRO DIAS, COMISSÃO DE VEREADORES NÃO ENCONTRA A PREFEITA MARIA ANTONIETA DE BRITO (PMDB) NO PAÇO MUNICIPAL. VEREADORES PODERIAM PRESTAR QUEIXA NA DELEGACIA DE DESAPARECIDOS OU EMITIR UMA JUSTA CAUSA POR RECEBER E NÃO APARECER PARA TRABALHAR, NÃO É SENHORES VEREADORES?
 
 
GOVERNO MARIA DE BRITO: “QUEM CONHECE, NÃO CONFIA!”
.

CONFUSÃO ENVOLVENDO VIGIAS MARCA REUNIÃO COM A PREFEITURA DE GUARUJÁ.
TRABALHADORES FICARAM INSATISFEITOS COM POSTURA DO SINDICATO. GUARDAS MUNICIPAIS RECLAMAM DA FALTA DE PAGAMENTO DE BENEFÍCIOS.
 

 

Guardas municipais e vigias de Guarujá, no litoral de São Paulo, tentam negociar com a prefeitura o salário e outros benefícios das categorias. O resultado de uma reunião nesta sexta-feira (17) não agradou os trabalhadores e houve confusão. Segundo eles, o sindicato não teve uma postura firme para defendê-los diante da administração municipal.

Por volta das 9h, os guardas municipais e vigias já estavam na frente da prefeitura aguardando o resultado da reunião que discutiu as reivindicações das categorias. No entanto, quando o representante do sindicato desceu para conversar com os trabalhadores, começou a confusão.

Na opinião do advogado dos vigias, José Francisco Paccillo, o sindicato foi contra o desejo dos trabalhadores. “O próprio sindicato inviabilizou a entrada dos vigilantes na reunião, marcada há muito tempo com a prefeita. Chegamos cedo e fomos impedidos de entrar. Hoje, existe uma preocupação grande da categoria em relação à representação do sindicato”, explica.

O vigilante Márcio Rodrigues Chaves reforça o coro das reclamações. “A gente reivindica os mesmos direitos da Guarda Municipal. Queremos promoção horizontal e equiparação salarial. Diferença de horário de escala também”, diz. Os guardas municipais também protestaram nesta sexta-feira, insatisfeitos com a falta de pagamento de benefícios.

Em nota, a prefeitura informa que, na reunião, seriam avaliadas as reivindicações e o governo municipal apontaria o que seria possível ser feito agora e o que seria necessário estudos.  A administração ressalta que respeita a legitimidade dos sindicalistas, porém, algumas pessoas que não são representantes legítimos da categoria queriam participar da reunião, e não foi possível prosseguir com as discussões. A Secretaria de Administração afirma que vai marcar uma nova data para dar sequência aos estudos e garantir os avanços das cláusulas sociais, sem que haja prejuízo às categorias que já estavam agendadas para esta sexta-feira.

O Sindicato dos Servidores Públicos de Guarujá (Sindiserv) afirma que, primeiro, o sindicato quer negociar com a prefeitura até a exaustão. Se não houver acordo, a entidade fará uma manifestação e poderá até entrar na Justiça.

Fonte: G1/Santos


PACIENTES DENUNCIAM ESPERA DE 6 HORAS POR ATENDIMENTO EM PRONTO SOCORRO DE VICENTE DE CARVALHO. 
MAIS DE 30 PESSOAS AGUARDAM POR ATENDIMENTO DESDE O INÍCIO DESTA MANHÃ.
 
.

Demora no atendimento e falta de médicos são os problemas relatados na tarde desta sexta-feira (17) por pacientes que esperavam por atendimento no Pronto Socorro de Vicente de Carvalho, em Guarujá.

Segundo apurou A Tribuna On-line, cerca de 30 pessoas aguardavam para serem chamadas na recepção da unidade.

Um dos pacientes que denunciaram a demora é Antonio Carlos dos Santos, de 51 anos. Ele contou que, por volta das 15 horas, aguardava por um clínico geral. “Estou aqui desde às 10 horas esperando uma consulta, mas até agora não fui atendido”. Antonio disse que apresenta coceira e caroços pelo corpo e, que precisava de atendimento.

Outro caso é o de Francisco da Silva, de 60 anos, que também esperava por um clínico geral. O paciente reclamava de muitas dores no corpo devido a uma infecção. “Estou aqui desde às 9h30, o pronto socorro está cheio, ninguém dá satisfação sobre a falta de atendimento” comenta.

Resposta

A Diretoria de Urgência e Emergência esclarece que a Unidade de Pronto Atendimento – UPA São João, atendeu nesta sexta-feira (16) com dois plantonistas. Uma médica teve que acompanhar um paciente na remoção, por isso o atendimento ficou acumulado por determinado período. Por volta das 16 horas, o atendimento estava normalizado e contava com 14 pacientes na espera.

A informação sobre unidade fechar no sábado não procede, estão escalados plantonistas para o dia e a noite (quatro profissionais em cada plantão).

Fonte: A Tribuna On-Line


GUARDAS MUNICIPAIS PROTESTAM EM FRENTE À PREFEITURA, EM GUARUJÁ 
ELES REIVINDICARAM O PAGAMENTO DE ADICIONAIS NOTURNOS, ASSIM COMO DE FERIADOS E FINAIS DE SEMANA.
 
.

Dezenas de agentes da Guarda Civil Municipal fizeram um protesto em frente à Prefeitura de Guarujá, na manhã desta sexta-feira (16). Eles reivindicam o pagamento de adicionais noturnos, assim como de feriados e finais de semana. Segundo a categoria, uma reunião deve acontecer até quarta-feira (22).

De acordo com Wagner de Almeira Demétrio, a Executivo não paga de acordo com o que a corporação trabalha. “Queremos o que é regido pelo estatuto, que reconheçam o que está no estatuto”.

O agente entende que houve um avanço na negociação e descarta uma paralisação até quarta-feira. “Não vamos prejudicar a população”.

Prefeitura

Através de um comunicado, a Prefeitura de Guarujá afirma que criou grupos de trabalho que envolvem secretarias e segmentos do funcionalismo público para tratar das cláusulas sociais referentes aos pedidos contidos na proposta de reajuste salarial, já aprovada pelo Legislativo, apresentadas pelos sindicatos dos Funcionários Públicos da Prefeitura (Sindserv), dos Professores de Escolas Públicas Municipais (Siproem).

As cláusulas sociais são ajustes que devem ser feitos, regulamentados ou ampliados, e não geram um desembolso imediato por parte dos empregadores, como abono de faltas, condições de segurança e higiene do trabalho, adequações a plantões de escalas, entre outros.

Desde o início desta semana, essas comissões têm realizado reuniões no Paço Municipal, com os membros de cada segmento do funcionalismo, de forma a ouvir os anseios e principais pedidos da categoria. Essas reivindicações somariam ao aumento no salário base de 7,14%, mais 8,33% no auxilio alimentação e 10% no salário consorte (incluindo relações homoafetivas) e 50% no salário família.

Já ocorreram reuniões com as seguintes secretarias, grupos e segmentos: Educação, Fiscalização, Previdência e Saúde. Os encontros são destinados somente aos servidores envolvidos diretamente no pleito. Nesta sexta-feira (17), a reunião foi com os servidores da Defesa e Convivência Social, que compreende os agentes de trânsito, guardas civis municipais, além dos vigias.

Os encontros continuam na próxima semana, com a categoria da Assistência Social, agentes de serviços gerais, escriturários, auxiliar administrativo, condutores de veículos, entre outros.

Fonte: A Tribuna On-Line.


INCÊNDIO ATINGE PELO MENOS 11 QUIOSQUES EM PRAIA DE GUARUJÁ 
SEGUNDO O CORPO DE BOMBEIROS, FOGO COMEÇOU POR VOLTA DAS 13H40. NINGUÉM FICOU FERIDO NO ACIDENTE, AFIRMA A CORPORAÇÃO.
 

 

Pelo menos 11 quiosques pegaram fogo, no começo da tarde desta segunda-feira (6), na orla da Praia da Enseada, em Guarujá, no litoral de São Paulo. De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, o incêndio começou por volta das 13h40 e ninguém ficou ferido. Os quiosques, que são feitos de palha, foram atingidos pelas chamas em sequência.

Os moradores acionaram os bombeiros às 13h45 e três viaturas foram para o local. Segundo informações da corporação, o fogo se alastrou para vários quiosques que ficam nas proximidades da Rua Argentina.

Pelo menos 11 quiosques localizados na orla da praia ficaram completamente destruídos, informou o Corpo de Bombeiros.

Testemunhas do incêndio contaram que o fogo se propagou rapidamente. “É muita fumaça em meio a um cenário de destruição. Parece guerra. Praticamente todos os quiosques foram queimados. Os trabalhadores estão arrasados com a situação.

Por volta das 15h, os bombeiros continuavam trabalhando nos quiosques com o objetivo de fazer o rescaldo do local.

O Corpo de Bombeiros deve investigar, nos próximos dias, o que causou o incêndio.

Fonte: G1 Santos/A Tribuna


Imagem  —  Publicado: 01/04/2015 em Esporte, Governo, Guarujá, Humor, inconfidencia, inconfidentes, manoel antonio vergara, Notícias, Política
Tags:, , , , , , , , ,


LEVARAM APENAS 4 ANOS PARA DESCOBRIR O QUE NÓS PUBLICAMOS EM 04/12/2000
CÂMARA DE GUARUJÁ AMPLIA INVESTIGAÇÕES SOBRE O CASO MATISSE.
.
.

 

O Plenário da Câmara Municipal de Guarujá aprovou por unanimidade, nesta terça-feira (31/3), o encaminhamento das denúncias relacionadas ao ‘Caso Matisse’ ao Ministério Público Estadual (MPE), ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) e à Advocacia Geral do Munícipio (AGM), assim como a ampliação das investigações feitas desde o ano passado pela Comissão de Fiscalização e Controle da Casa.

A medida foi tomada em consonância com o relatório produzido pela comissão, que desde abril do ano passado vinha reunindo documentos e informações a fim de apurar supostas irregularidades no contrato de prestação de serviços de engenharia, firmado entre a Prefeitura de Guarujá e a Construtora Matisse.

Mesmo após o recebimento de verba definida em contrato, a empreiteira não entregou as obras, que permanecem paralisadas desde então.

Várias autoridades, a exemplo do vice-prefeito Duíno Vérri Fernandes e do secretário de Finanças, Armando Palmieri, tiveram de prestar esclarecimentos à comissão, assim como técnicos da Prefeitura e representantes da empresa.

Ainda assim, os vereadores não conseguiram reunir elementos suficientes para embasar uma eventual instauração de comissão processante (a exemplo do caso da merenda), haja visto que nem todas as documentações solicitadas chegaram à comissão.

“Há documentações a serem analisadas e outras, solicitadas”, explicou o vereador Edílson Dias (PT), que foi quem presidiu os trabalhos da comissão até o final do ano passado. Ele destaca que há trâmites burocráticos a serem superados, para que as investigações de fato sejam concluídas.

“Há um documento do TCE, por exemplo, que depende de liberação do conselheiro para que seja disponibilizado em cartório. Isso leva tempo”.

De toda forma, os indícios e demais informações colhidas até o momento já serão alvo de análise dos órgãos competentes, que posteriormente receberão mais elementos que eventualmente forem apurados, daqui em diante, pela Comissão de Fiscalização e Controle.

“Vamos continuar esse trabalho por mais 90 dias e, ao final, apresentar novo relatório. Dependendo das provas colhidas, será aberta mais uma comissão processante, a exemplo do caso da merenda”, disse o vereador Toninho Salgado, que é o atual presidente da comissão.

CÂMARA MUNICIPAL DE GUARUJÁ – Assessoria de Imprensa


PUBLICADO EM 02/12/2013
PUBLICADO EM 02/12/2013

A POLÍCIA FEDERAL QUE JÁ ESTÁ INVESTIGANDO A TETO CONSTRUÇÕES, PODERIA INVESTIGAR EM GUARUJÁ, AS OBRAS DA TETO CONSTRUÇÕES (PÍER DO PEREQUÊ) E AS DA MATISSE ENGENHARIA (ESCOLAS PÚBLICAS), NÃO É PREFEITA MARIA DE BRITO?
PROMOTOR DE JUSTIÇA  DETERMINOU A ABERTURA DE INQUÉRITO POLICIAL PARA APURAR SUPOSTO CRIME DE FALSIDADE DOCUMENTAL COMETIDO PELA EMPRESA TETO CONSTRUÇÕES COMÉRCIO E EMPREENDIMENTOS LTDA.
 
FORUMSJRP
 

O promotor de Justiça Sérgio Clementino determinou a abertura de inquérito policial para apurar suposto crime de falsidade documental cometido pela empresa Teto Construções Comércio e Empreendimentos Ltda, responsável pela construção do prédio do novo Fórum em Rio Preto. A empresa apresentou à Prefeitura apólice de seguro falsa no valor de R$ 343,1 mil como garantia da execução do contrato da obra, conforme revelou o Diário no último sábado.

A irregularidade foi constatada pela Secretaria de Administração em 21 de julho de 2010. O caso só veio à tona agora, seis meses após a descoberta da irregularidade pelo secretário de Administração, Inácio Buzzini de Oliveira.

A seguradora Mapfre encaminhou ofício à Prefeitura alegando que não havia sido emitida nenhuma apólice de seguro em nome da empresa Teto tendo como segurado o município de Rio Preto. Cópias dos documentos, os quais o Diário teve acesso com exclusividade, serão encaminhados para avaliação da Polícia Civil.

O pedido da abertura da investigação será encaminhado hoje à delegacia Seccional de Polícia de Rio Preto. Clementino já investiga, por meio de inquérito civil, a contratação da empresa pelo município e a execução da obra. Ontem, a Teto protocolou sua defesa no caso e pediu ao Conselho Superior do Ministério Público a sua exclusão da investigação envolvendo a construção do novo Fórum.

Clementino disse que o fato da empresa ter apresentado uma nova apólice de seguro, em agosto do ano passado, não modifica a irregularidade constatada anteriormente. “A nova garantia é balela. A Prefeitura e a empresa admitiram que a primeira garantia apresentada era falsa”, afirmou o promotor sobre a possível prática de crime.

Em sua defesa, a Teto alegou que fez uma nova apólice de seguro no valor de R$ 300 mil junto a corretora Nobre. O documento foi feito em agosto de 2010, após a descoberta da possível fraude indicada pela Executivo. “A Teto alegou na sua defesa que o problema (da primeira garantia) foi devido a burocracia interna da Mapfre”, afirmou Clementino.

O procurador-geral do município, Luiz Tavolaro, disse que é “vontade” da Prefeitura a abertura de investigação pela polícia. “É nossa vontade que o Ministério Público investigue essa caso. Não rompemos o contrato por causa dos problemas estruturais apontados pela Teto. Nós rompemos o contrato por causa dos constantes atrasos na obra.

Antes de assumir a obra ela (Teto) vistoriou o local e sabia dos problemas estruturais, que deveriam ser corrigidos”, afirmou Tavolaro. Sem cumprir o prazo para execução do prédio, a Secretaria de Obras indicou à Procuradoria Geral do Município a rescisão do contrato com a aplicação de penalidades previstas na lei 8.666/93 – de licitações – à Teto.

A empresa, porém, obteve liminar na Justiça derrubando a decisão administrativa do município, que já recorreu ao Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo. De acordo com a defesa da Teto. a empresa fica “feliz” pela decisão da Prefeitura abrir nova licitação para o término da obra. Ela aponta que a previsão de gastos no valor de R$ 3,2 milhões será destinado à recuperação da estrutura do prédio.

A empresa alega que os problemas apontados por laudo elaborado a pedido da Prefeitura deve-se ao período em que a construção foi conduzida pela construtora Polo. Segundo Tavolaro, a Prefeitura de Rio Preto já gastou R$ 3 milhões dos R$ 10 milhões previstos para erguer a sede do novo Fórum. A obra é feita por meio de convênio entre o município e a Secretaria estadual de Justiça. 

30529
 

TETO TEM SÓCIOS SEDIADOS EM PARAÍSOS FISCAIS

A empresa Teto Construções, Comércio e Empreendimentos Ltda tem como sócias-proprietárias duas empresas constituídas em paraísos fiscais. As empresas Zodiac Pacific S/A com sede no Panamá e a Bariton Enterprises S/A com sede na República de Seychelles, sendo as duas tendo como representante Michel Chedid Júnior, dono da Teto.

O fato, revelado no domingo pelo Diário, chamou a atenção do promotor de Justiça Sérgio Clementino, que pedirá informações ao Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) em São Paulo especializado em questões envolvendo empresa com sede em paraísos fiscais.

A descoberta das sócias da empresa Teto constou em documento da Junta Comercial do Estado de São Paulo (Jucesp) – veja documento ao lado. O fato de a empresa ter seus capital estabelecido no exterior pode inviabilizar qualquer tipo de cobrança ou execução judicial de seus bens. 

REFORÇO

O procurador-geral do município, Luiz Tavolaro, afirmou ontem que a Prefeitura vai tentar evitar a demolição de parte da obra do novo Fórum, localizado no bairro Chácara Municipal. Ao lado do prédio da Receita Federal.

“Descartamos perder o que já foi construído. Vamos reforçar a fundação do novo Fórum e adequar o projeto de engenharia que já está desatualizado”, afirmou Tavolaro. O procurador disse ainda que o município tenta a todo custo “salvar” a obra. 

fbrtetodiarioweb
 
Fonte: Diário Web
.